domingo, 9 de novembro de 2008

13 - REFLEXÕES DE G.F. * Gooooolooooo!...



O jornal Correio da Manhã, de Lisboa, na sua edição do passado dia 6 deste decorrente mês de Novembro, publicou uma notícia subordinada ao título Craques pagos a peso de ouro.


Ora, eu sou pouco ou nada informado nestas coisas do mundo do pontapé na bola. Ouço dizer, vagamente, no estafado diz-se... que por lá se auferem salários e se obtêm prémios e prebendas que ascendem a quantias muito para além da decência, atendendo, naturalmente, à situação económico-social que se vive. Evidentemente que sei que neste paraíso de democracia capitalista a máxima que impera é cada um safa-se como pode ou qualquer outra do mesmo género. Mas mesmo sabendo ou supondo saber das leis deste paraíso, confesso ter ficado chocado com os salários divulgados.


Em Portugal, os salários irão de 150.000 a 75.000 euros. Apenas os salários. E esta situação ocorre num país onde o salário mínimo nacional não atinge 450 euros. E, ao que parece, tudo bem como dantes, quartel-general em Abrantes. Ninguém diz nada de nada; as estações televisivas são um regabofe de notícias do pontapé na bola; a estação televisiva estatal permite-se abrir telejornais com o futebol, democraticamente. Certamente por isso, durante o bafiento salarazismo nunca a tal se permitiu. Uma vergonha nacional. Mas há mais. Façamos, com maldade, umas continhas:

Um salário de 450 euros x 14 meses = 6.300 euros

6.300 euros (total de 1 ano) x 40 anos = 252.000 euros.


Chegados aqui, verificamos que há em Portugal quem aufira por mês o que a esmagadora maioria dos trabalhadores ganharia quase em toda uma vida activa de labuta.

Esta é uma das vergonhas que todos fingem ignorar.

Esta é, entre outras, uma vergonha deste povo-país!



9 de Novembro de 2008.
Gabriel de Fochem
*
Ilustração de José Dias Coelho, assassinado pela PIDE.

4 comentários:

Jerónimo Sardinha disse...

Meu Caro José-Augusto,

Que comentário se pode fazer a uma evidência deste quilate ?

Mas, em boa verdade, esta, como todas as outras culpas, são nossas.
Como maus cidadãos, permitimos que a sociedade se fosse formando por nichos de interesses, por complots de conveniências, com autenticos cartéis de corrupção. Era mais do que evidente, que a curto prazo o resultado seria este e pior.
Se bem, que esta situação, nada e criada na maior corrupçao, alimentada por especulação suja e desenfreada, é fruto, usofruto e resultado do capitalismo mais baixo, mais vil e mais oportunista.
Não bule nem de perto comigo. A única parte em que me desperta algum interesse, é a parte em que estes anormais, depois de desbaratarem tudo o que o seus donos lhe deram, passam a viver de um benefício social para o qual não contribuiram devidamente, em tempo de vacas gordas.
No resto, fora este inconveniente grave, é um mundo que vive e se consome de "per si".
O caso da alienação de massas, também não cola comigo. Todos somos grandinhos. As escolas e as casas dos pais sempre estiveram abertas. Se temos maior interesse em saber quem é um qualquer tipo, iletrado e mal formado que corre em cuecas ao domingo, é problema de cada um. Como grandinhos, sejamos responsáveis e arquemos com os nossos erros e opções.

Mas tem razão, Zé-Augusto. Nao é escândalo, é ESCÁRNIO.
Talvez um dia tenhamos um modelo diferente de vida e de costumes.

Deixe que lhe diga terminando, que estou mais habituado a que análises desta natureza, sejam da autoria do "Velho" Gabriel de Fochem. Sem que o meu ilustre amigo o desmereça, bem pelo contrário.

Tenhamos FÉ, ESPERANÇA e CARIDADE (pois quase vivemos dela).

Haja Futebol !!!

Grande Abraço,
Jerónimo Sardinha

José-Augusto de Carvalho disse...

Boa tarde, meu prezado Jerónimo!|
E tem toda a razão quanto à autoria do texto. Apenas porque sou eu que lhe coloco os textos, houve um lapso já devidamente corrigido.
Grato pelo alerta.
Grande e fraterno abraço.
José-Augusto

Das divergências e convergências disse...

É injusto mas é a lei da vida. O sistema capitalista é assim. Se os clubes pagam esse dinheiro é porque o têm. Se o têm é porque o ganham, se o ganham é porque alguém o dá a ganhar.
Os portugueses que ganham 500eur por mes, se for preciso vão duas vezs por mes ao estadio pagando 80€, se for preciso compram uns calções, uma bandeira do clube, etc
Cada povo tem o que merece.
Se fosse o Estado com o dinheiro dos impostos a pagar esses ordenados era injusto, agora os clubes se pagam isso é porque têm.
Ponto final
O comunismo não é melhor do que isto. Não se meta nisso!
Cumprimentos.

José-Augusto de Carvalho disse...

Li, surpreso, o comentário de quem não teve a inteireza de carácter de assiná-lo.
Os argumentos aduzidos, a referência insólita ao Comunismo e a ameaça caceteira identificam o tipo de gente que se permite entrar neste espaço de liberdade e cidadania assumida.
José-Augusto de Carvalho