quinta-feira, 29 de setembro de 2016

EIA- VERAS HISTÓRIAS DA REVOLUÇÃO DE ABRIL!




Quem viveu e fez a Revolução de Abril no Alentejo  não conheceu, e, por maioria de razão, reconhece essa coisa canalha, vomitada por quem faz dinheiro conspurcando o comportamento heroico e honrado de outros. No Alentejo aconteceu -REVOLUÇÂO.

A Revolução mostra-a MARIA JOSÉ MAURÍCIO, em Estórias de Abril. Mostrar é um dever de quem AMA e Serve. Ver, seria um direito e dever também de quem AMA e SERVE, mas aqui, a história já é outra, entre tanto cego e surdo, com voz só para dar voz à  VOZ DO DONO, pior que um cão domesticado, são imensos os cegos e surdos..logo...

EIA Pelo País, agora, em Montemor-o-Novo!



segunda-feira, 26 de setembro de 2016

05 - POEMÁRIO * Tempo clandestino




Para todos aqueles que se deram na luta contra o fascismo 

no rigor da clandestinidade




As ruelas de terra batida

ocultaram a minha partida.



O negrume da noite tragou-me

numa cúmplice fuga.

Uma sombra furtiva e sem nome

que do rosto uma lágrima enxuga.



Em redor, o silêncio pesado

dos malteses do medo e do espanto

e os rafeiros rosnando ao cajado

que à distância mantém o levanto.



Chego, enfim, à estrada deserta.

Doravante, o caminho é obscuro.

E assim vou, de sentidos alerta…

E assim vou esventrando o futuro…





José-Augusto de Carvalho

Lisboa, 18 de Março de 1997.

domingo, 25 de setembro de 2016

EIA - MÃE!


                                           Andrea    Cantando para Crianças




EIA:

A VÓS MÃES, AOS VOSSOS CORAÇÕES E ALMAS, ESCUTAI UMA MULHER AFLITA POR TER DECIDO, UM DIA, COMO MÃE. É DOMINGO!


Helena Biscaya da Silva-andrea, era uma grande artista, com o mundo a seus pés, mas um dia, decidiu.

EIA -A MÃE!




“O que pesava mais na balança? FAME AND FORTUNE ou LOVE? O amor falou mais alto. A minha escolha estava feita. Iria abandonar a minha carreira artística para me poder dedicar ao meu filho. Não iria mais viajar. Arranjei um emprego e fiquei a viver na minha cidade.

Nunca me arrependi disso. O meu filho é o primeiro a dizer que foi uma criança muito feliz, porque eu fui sempre uma mãe muito presente.

Tenho a certeza de que se eu tivesse continuado a carreira artística e vivido longe dele, hoje ele não diria a mesma coisa. 

E foi assim que a cantora Andréa acabou de um momento para outro. Não digo que foi fácil. Foi mesmo muito difícil nos primeiros tempos.

A mudança de vida foi muita e foi mesmo radical, mas consegui sobreviver. Sofri ....sofri.... quando me lembrava da pessoa que eu era antes e que não existia mais. Mas valeu a recompensa. Nem toda a gente seria capaz de fazer o que eu fiz. Abandonar a vida artística no auge da carreira. Trabalhar tanto, fazer tanto sacrifício, para depois largar tudo. Mas eu fi-lo.
Quando eu dizia que tinha deixado de cantar, muitas pessoas nem queriam acreditar. Mas foi assim que aconteceu.

Acabou a cantora Andréa , mas agora ainda existo eu, a Helena, e irei contar ainda muitas coisas interessantes da minha carreira artística, já a partir do próximo post.”
........


Hoje a Mãe, a cantora,  vive um momento de dificuldade extrema e poucos a escutam. Re.re.repito o seu apelo :

“Eu ( Helena Biscaya da Silva-andrea )sou mais uma vitima deste país de politicas que matam o povo á fome. Onde é que 300 euros chegam para viver, quando não chega sequer para pagar uma renda de casa. Os políticos com reformas de milhões a fazerem uma vergonha destas. ...

. Durante a minha carreira artística passei a vida a colaborar. Fiz muitos espetáculos de beneficência cuja receita era a favor dessas instituições . Muitas do Estado.

Os artistas são gente boa e generosa. Mas hoje eu estou nas mesmas condições Por isso peço a todos os meus amigos/as, por favor ajudem-me. nem que seja só com 5 ou 10 euros.
estou com cancro e com sérios problemas. aqui deixo o meu IBAN:
PT50 0193 0000 1050 0228 36551

Banco CTT

obrigada a todos os meus amigos/as. um beijo

Helena Biscaya - Helena Biscaya da Silva-andrea


NÃO SEJAMOS DESTE NAIPE!


FIM DA CARREIRA
pagina facebook

sábado, 24 de setembro de 2016

05 - POEMÁRIO * Do verbo


Do baú do esquecimento

Do verbo




Saber!... e levo a vida a conjugar

o verbo encadeado nos seus tempos…



Confunde-me o presente afirmativo,

duma falaz jactância impertinente…



Diverte-me o pretérito insolente,

dourando as ignorâncias atrevidas…



Agrada-me o futuro na vontade,

de uma indulgência cúmplice e longínqua…



Detesto o autoritário imperativo,

explícito ordenado na desordem…

(… quando temor que baste já eu sofro

tentando conjugar em vão o verbo,)



Serei a vida inteira um aprendiz…

Benditos sejam os supostos mestres!





José-Augusto de Carvalho
Lisboa, 14 de Abril de 1997.
Alentejo, 23 de Setembro de 2016.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

DA POLÍTICA EXPERIMENTAL E DO DESASTRE PORTUGUÊS.






Um governo nunca pode ter porta-vozes fora da sua orgânica, que pelo simples facto de o apoiarem, venham ,de um modo avulso, ao que parece combinado com o governo (MY GOD!), anunciar medidas gravosas avulso, ainda, não decididas e em estudo, para ver a reacção da população,( experimentalismo) que só pode ser sempre negativa, nas actuais circunstâncias, face ao alarmismo que o PPD,CDS e a comunicação social que lhes está afecta produzem, simplesmente, para dizerem que as politicas de terror do governo anterior e da UE, eram bem melhores que as em curso hoje.

O governo por manifesta incompetência, ou para dar palco a quem dele, para ele e com ele vive e sobrevive, alinhou numa jogada folclórica que o prejudica, se quiser realizar uma politica consequente para ultrapassar a actual situação portuguesa. Para este fim, torna-se absolutamente exigente que só seja anunciado pelo Governo o que vai mesmo fazer, o seu porquê, o como e para servir que objectivos: os das suas claques ou o povo?

Com governos de terror capitaneados por um género de fascismo financeiro o que aconteceu, é que Portugal ficou mais desigual, com a sua indústria residual e muito comércio local em ruinas, e, muito grave, uma miséria infantil gritante, inumana de 25 % das crianças abaixo do limiar da pobreza.






Fala-se , agora, de um plano Nacional para solucionar esta socioepidemia, ainda bem, mas também em 2009, através de um “QUASE -Manifesto para a defesa da Dignidade do nascimento até à morte” ( http://liberdadeecidadania.blogspot.pt/...) chamei a atenção para esta tragédia que se vislumbrava, ,alguns, o consideraram mais utópico que a Utopia de More, não o era, era uma necessidade vital, que, agora, 7 anos depois se reconhece. HOSANA!

Todavia, o que interessa não é o fingimento, o experimentalismo, ou a barbaridade do fascismo financeiro, mas sim, que em Portugal, na Europa e no Mundo se lancem politicas de desenvolvimento e crescimento económico, dirigidas por lideres sábios e realmente impolutos, e se combata a corrupção e a evasão fiscal, se premeie o mérito e a inovação, e, através, de uma justa e adequada redistribuição da riqueza e dos justos salários se combata a desigualdade e a pobreza inqualificáveis.

EIA:

O COMBATE DO PRESENTE E DO FUTURO PARA OS QUE ESTÃO DE PÉ E AMAM O OUTRO, O SEU PAÍS , A HUMANIDADE, O COSMOS.!

andrade da silva.

EIA!




quinta-feira, 22 de setembro de 2016

05 - POEMÁRIO * A falaz rotação



Há momentos na Vida

em que todos os homens são reis.



Não sei quem o afirmou,

mas sei bem que falando de reis

falarei, com certeza, de súbditos.

Eu prefiro a res publica.

Velha Grécia das ágoras,

Velha Grécia de Demos e kratos

vem valer-nos nesta hora à deriva!



Persistimos reféns da caverna.

É de sombras o nosso alimento.

Sombras vãs, fugidias, incertas,

num desfile de máscaras

deste nosso ancestral carnaval.



E nós vamos na marcha bailada,

sem cuidados,

inocentes meninos

inocentes meninas

de dançares de roda

em jardins ou recreios de escola.



Ébrios todos ou não(?)

nesta roda que gira

ou que finge que gira

imitamos o velho pião

na falaz rotação…







José-Augusto de Carvalho
Alentejo, 21 de Setembro de 2016

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

FALARES DOS POLÍTICOS.





DE QUE FALAM AS/OS SENHORAS (ES) BEM-BEM DA POLÍTICA?

SÃO PESSOAS DECENTES????????

“ ESCREVER É UMA ACTO DE SANGUE E DOR!”

Então, estão a retirar os pobres da miséria, mas como ,se os pobres aumentam de número ? Dar mais uns euros aos que nada têm, é uma grande politica social para uns- PS, BE e assim, assim, para o PCP e um grande desastre para outros ,para o PPD/CDS. Mas questiono, estamos na Europa, em Portugal, ou no Bangladesh, ou em Marrocos.?

SOPA DOS POBRES PORTO

E senhoras e senhores deputados e governantes e os DESEMPREGADOS e os EMPREGADOS PRECÁRIOS, sem rendimentos ?

Governo e PPD/CDS estão a defender a classe média , mas como? Os governos anteriores , desde o PS de Sócrates a esses “malvados” do PSD, levaram, por mês, centenas de euros, nas pensões, desses grandes ricos, que recebem mais de 15oo€/mês. O ano passado deram-nos mais uns trocos, este ano, mais 12€ por mês, mas ficam com centenas, cerca de 10% ou mais da pensão, para a contribuição extraordinária de solidariedade, de que ninguém fala, e é para pagar os buracos criados por Ricardo Salgado, Jardim Gonçalves, Oliveira e Costa Etc..

Mas não têm vergonha?

Uns são tiranos e outros propagandistas , entretanto, 6.666.666 de portugueses estão perto da lixeira, e sem - crescimento económico, desenvolvimento, combate à corrupção e à evasão fiscal e uma politica fiscal justa - vamos, os 6.666.666 de portugueses, parar à falência, e, destes, cerca de 3 milhões ao desastre, que o PSD quer , não por maldade satânica, mas para manter os privilégios de 1% dos mais ricos e 10% dos gestores de fortunas ,ou de grandes empresas como EDP, com o sr. Mexias a ganhar muitos e muitos milhares de euros por mês, o que, exige que se crie, no actual contexto social (50,100,mil anos) um tecto para o rendimento máximo moral e socialmente aceitável, sendo os rendimentos considerados marginais, acima de dados níveis, taxados de um modo forçado e superlativo, e , tudo, sem a utilização da Bomba de fragmentação atómica ou química contra o rico que mexa, que, a ora, instalada deputada Mortágua propõe. ( è sempre melhor existir juventude irrequieta na Assembleia da República do que funcionários partidários preguiçosos e de total assentimento com todos os disparates)

A verdade é simples, o PPD/CDS, querem transformar-nos num Marrocos com a apoio da UE, e o actual governo não quer tanto, mas também não ataca a corrupção, e quer ir buscar dinheiro até àqueles que eventualmente mais legitmamente acumularam capital.

É de loucos taxar o sol, mas é correcto diferenciar as taxas do IMM para a casas muito luxuosas, que deviam ser taxadas com a percentagem máxima, quiçá, imóveis com um valor patrimonial elevado significativo de 1 milhão de euros, 750 mil ou mesmo de 500 mil, é preciso estudar o assunto, e tornar o IMI progressivo, sem criar novos impostos.

Para combater a evasão fiscal e o suborno é importante que acima de um dado nível de depósitos as contas bancárias POSSAM E DEVAM SER FISCALIZADAS , para limitar o crime de corrupção e fuga ao fisco, evidentemente.

Mas, para além de todas estas medidas, o que, mais importa é que :

O ESTADO DE DIREITO FUNCIONE: COM OS ÓRGÃOS DA JUSTIÇA A SEREM CÉLERES, JUSTOS E A INVESTIGAREM E JULGAREM TUDO O QUE DEVE SER INVESTIGADO E JULGADO, SEM CIRCO;

COMBATER O DESEMPREGO E A MISÉRIA;

COMBATER A CORRUPÇÂO E A EVASÂO FISCAL;

DESENVOLVER O PAÍS, ATRAVÈS DE INVESTIMENTOS NA ECOMOMIA, INDÚSTRIA; AGRICULTURA; EDUCAÇÂO; CULTURA; CRIAÇÂO DE EMPREGO E, AINDA, A PROCURA DE MERCADOS EXTERNOS E ESTIMULO AO CONSUMO INTERNO INTELIGENTE;

A CONTRUÇÃO DO ESTADO DE DIREITO;

O COMBATE À SABOTAGEM ECONÓMICA QUE PARECE ESTAR EM CURSO ,ATRAVÉS DE UM PACTO TRANSFISICO ENTRE UE E PSD/CDS -ALGO DE TÃO INACREDITÁVEL, COMO VER, NO BE, ESSA TRÁGICA E RASTEIRA FIGURA DE ALFREDO BARROSO, QUE SERÁ SEMPRE DE MAU AGOIRO!.

É evidente que os dizeres do PSD/CDS correspondem a um estado de alma de quem nunca deveria ter sido, a céu aberto, governo de Portugal.

QUEM QUER VER- VÊ. QUEM NÂO QUER, QUE NÂO VEJA; NÂO OIÇA; NÃO DIGA e vá ao fundo dos penhascos ouvir os seus mui aventurados mestres.

NUNCA!


Todavia, é preciso mudar, e sair das garras dos que nos querem encostar à parede, ou dos que com malabarismos não querem que saibamos o que é verdade, e depois nos atiremos ao mar.
Andrade da silva

NUNCA! NUNCA! NUNCA!....