quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

07 - REGISTO * Discorrendo: Não faças aos outros...


Sempre integrei as hostes que lutam pela igualdade de direitos e deveres, em todas as circunstâncias, sem excepção, porque a divisão de uma sociedade em classes determina a desigualdade de direitos e deveres.

Conhecemos a dolorosa caminhada do ser humano, uma caminhada de luta e sofrimento, uma caminhada de derrotas e tragédias que empapam de sangue e de luto a nossa memória colectiva.

Quisemos ultrapassar a vergonha do esclavagismo; quisemos ultrapassar a barbárie mais infamante das fogueiras ironicamente designada por autos-de-fé; quisemos ultrapassar o ultraje da tortura física, psicológica e moral e o desprezo pelos elementares valores da inocência e da dignidade da mulher desde menina; quisemos ultrapassar o nepotismo e as suas perversas consequências no âmbito familiar, social e laboral; quisemos, afinal, a justeza dos valores que ambicionam a suprema instauração da fraternidade ou, dito de outra maneira, a instauração do basilar princípio: não faças aos outros o que não queres que te façam a ti.

Passaram milénios e a luta de hoje é a luta de sempre. Que difícil é cumprir a base da harmoniosa convivência humana: não faças aos outros o que não queres que te façam a ti!

Como é possível, depois de tudo por que passámos, continuar a existir quem se venda por um prato de lentilhas?

Como é possível continuar a existir quem construa a sua ventura com a desgraça do outro? Ou, como escrevi um dia, construir o seu palácio com a fome de um casebre?

Eu sei que pouco valho, que serei um grão de areia do imenso deserto; mas onde estão os que valem muito ou supõem que valem muito? Onde estão eles que não os vejo agir eficazmente pela instauração dos valores supremos do ser humano e da Vida, em sentido amplo? Onde estão?

Sinto uma tristeza profunda ouvindo falar de direitos humanos a quem os espezinha; sinto-me ofendido ouvindo falar de democracia, o tal poder do povo, a quem espezinha os direitos democráticos mais elementares; sinto-me insultado ouvindo falar da Verdade e sem poder perguntar a esses petulantes «o que é a Verdade»?

No ocaso da vida, depois de tantas e tantas decepções, recordo o que ouvia em criança:
«cortaram a cabeça a São João Baptista porque ele dizia as verdades». Esta frase e também estoutra «Deus manda ser bom, mas não manda ser parvo» sempre me acompanharam como ditos populares. Hoje, para meu desespero, são máximas comprovadas.

No ocaso da vida, confirmo, pela experiência vivida, que continua válida a sentença: ninguém fará por mim tudo quanto só a mim cabe ou couber fazer. Tal qual!



José-Augusto de Carvalho
Alentejo, 6/12/2016.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

PSICOLOGIA PLURAL

Amanhã, 6 de dezembro, vai a votos na ordem dos psicólogos portugueses uma lista- A.-da psicologia plural, com a preocupação de uma psicologia junto das comunidades. Mesmo que não seja a vencedora, como membro da sua comissão de honra, tudo farei para que este vector do apoio à população se concretize com protocolos com juntas de freguesia , câmaras, voluntariado etc, e que também faça ao nível psicossocial o que deve, para que a comunidade portuguesa p...ossa enfrentar melhor a ameaça de 47% de perda dos actuais postos de trabalho, por causa a 4 ª Revolução Industrial, nos próximos 10 a 20 anos, segundo estudos de uma Universidade de Oxford, e de novo, aqui , a CS tem um papel importantíssimo.


Não quererá o Público ser o number one em Portugal?

PS: e-mail, enviado ao director do público, com conhecimento ao meu amigo, colega e camarada Carvalho, da lista A - psicologia Plural - candidata á direcção da OPP.

Acrescento o contacto aos sindicatos e centrais sindicais, governo e Assembleia da Republica,

  1. Presidente do Lisbon Institute of Global Mental Health, José Caldas de Almeida defende uma psiquiatria feita mais na comunidade e menos nos hospitais. Nesta sexta-feira são apresentados os primeiros resultados de um estudo com novos…
  1. publico.pt|De Romana Borja-Santos


segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

VIVA A LIBERDADE, CONTRA AS DITADURAS.

DEMOCRACIA VIVA! - FASCISTAS E SEUS PRIMOS INFERNO COM ELES!

PORTUGAL DE ABRIL DE PÉ, SEM  NOVEMBROS E CORRUPTOS!

AS DIREITAS E OS CORRUPTOS,OS CÚMPLICES, OS VIRACASACAS TÊM TAMBÉM DE SEREM DERROTADOS AMEAÇAM DE ESCLAVAGISMO PÓS-MODERNO 6.666.666 DE PORTUGUESES.

É PRECISA A REVOLUÇÃO RE-NASCER EM PORTUGAL E NA EUROPA.

RE-NASCER DA LIBERDADE, DA DIGNIDADE, DO DESENVOLVIMENTO.

PORTUGAL DE ABRIL DE PÉ, SEM  NOVEMBROS E CORRUPTOS

Asilva



http://www.dn.pt/…/europa-respira-de-alivio-apos-derrota-da…

Alexander Van der Bellen, de 72 anos, venceu segunda volta das presidenciais e promete ser um "presidente pró-europeu"
dn.pt|De Helena Tecedeiro

domingo, 4 de dezembro de 2016

QUE PAÍS: BELEZA,RETÓRICA, VERDADE E DIALÉTICA E PRIMARISMOS A ESMO!




AMO-TE PORTUGAL!


Portugal é tão lindo, como a foto da super lua sobre Mafra o prova.
MAS:



Dizer que Paulo Macedo é um supercomputador de saberes e competências - esquecendo o seu desastre no Ministério da Saúde, com a morte  evitável de milhares de doentes, nas urgências, numa das epidemias de gripe por: desidratação, frio, fome e falta de tratamento - é uma afirmação  no mínimo retórica,  despudorada e insensível.
........



Estive, como convidado, na abertura do XX Congresso do PCP, encontrei antigos companheiros de lutas de Vendas Novas e Montemor foi um momento maior, porque foram lutas pela justiça, e não por qualquer ditadura que me esmagaria como a semi-ditadura actual o faz, uma mais completa prendia-me ou fuzilava-me.
Foi referido no Discurso de Jerónimo de Sousa o mapa da destruição de Portugal pelo governo do PSD/CDS: 500 mil desempregados, milhares de empresas falidas, degolação financeira do povo, dos pensionistas e dos funcionários públicos. Foi um governo de terror, que, ora, derrotado , os seus apoiantes passaram à guerrilha. O PCP neste campo considera que travar esta politica de desastre Nacional foi e é (é mesmo) importante, e que para o PCP quanto melhor para o povo, melhor.
A maior parte da intervenção teve muito a ver com a dialética do PCP ,cuja realização terá de ser analisada em cada acto concreto, nomeadamente, na luta contra a corrupção, na luta pela transparência, pela defesa do estado social e da democracia participativa. A questão da União Europeia e saída do EURO, foram apontadas sem referência a nenhum plano operacionalizado.
Foi, ainda, importante, o pouco contacto que tive com jovens da juventude comunista de Moura, quando lhes perguntei se alguma vez tinham ouvido em discurso directo algum dos jovens militares que tinham feito o 25 de Abril, a resposta foi não. Lancei-lhes o repto de dizerem em Moura, ou onde quer que seja, que podemos ir lá falar-lhes.
........


EIA: primarismos adolescentes retardados.



Sou republicano, mas considero absolutamente primário, mesmo um acto de uma adolescência atrasada , a atitude do BE para com o representante da monarquia Espanhola, aceite pela maioria esmagadora dos espanhóis, logo, o acto do BE é uma ofensa ao Povo Espanhol , e envergonha o parlamento português, pelo que ,deve ser censurado a nível parlamentar, e o regulamento interno não deve permitir estes actos.
Todavia, o BE pode e deve ir para a Serra Nevada ajudar os republicanos que lá estejam ,a implantarem a República em Espanha, sobretudo, agora que está fresquinho e dá para limpar mais as ideias. Compreendo-os, porque devem ter todos entre 25 a 30 anos, mas falo-lhes com um exemplo pessoal ver se entendem a coisa : não sou crente, mas quando vou a Igrejas por amizade com os meus amigos que partiram, ou quando, como comandante militar, tive de participar em cerimónias religiosas, sempre mantive a posição de respeito - de pé, nos momentos solenes da liturgia, nem pode ser de outro modo, ao nível da moralidade, da decência e mesmo da inteligência social. Trump com trumpisadas ganhou as eleições nos EUA, o que, acontecerá aqui, usando o mesmo método? Mas julgamos que deve ter sido um acto da rebeldia adolescente já depois do prazo, pelo que, é preciso ter paciência, mas também dizer- lhes que o recreio é depois das sessões plenárias. Foram as más governações do PS que potenciaram o crescimento do BE, logo...


Porém, EIA- PORTUGAL É BELO!




asilva.

PS:
Deolinda Cardoso:
Bem hajas João por fazeres sempre, o teu trabalho de casa.

João Andrade da Silva:

Trabalho de casa faço e muito, de rua e na mudança de Portugal nem tanto a grande maioria das pessoas desertaram ou adoram Judas.
O Abril da Liberdade, da dignidade, do desenvolvimento, da justiça do direito e social está prisoneiro nas funduras deste estado da corrupção, da retórica, da dialéctica, da mentira, dos primarismos pseudorrevolucionários. Revolucionários reconheço 1383, 1640, 1910, e o 25 de Abril 1974; o 28 de Maio e o 25 Novembro são actos contra Portugal e 2/3 de portugueses. Verdade, verdade é que PPC, Portas e Cavaco destruíram o país de um modo colossal, mas a herança da corrupção, do amiguismo, do golpismo mantem-se intocável, porquê?

Carlos Arinto:

Sim, as tuas opiniões congregam milhares de portugueses que ainda pensam pela sua cabeça.
Não precisamos de "amanhãs que cantam" mas de vida.

João Andrade da Silva:

Caro Arinto se os portugueses ouvissem e quisessem ser justos, lutadores por Portugal e pelos 6.666.666 de nós que pagamos as favas, bastante poderíamos mudar internamente. Sacam-nos, a cada um de nós, milhares de euros por causa do crédito mal barato, que foi dinheiro dado aos amigos e que está pelos offsores, ora, se não querem devolver o cacau. logo 20 anos de prisão, como o fazem os americanos. Não querem ser presos que se SUICIDEM! Mas, aqui estão em liberdade com pensões de dezenas de milhares de euros/mês e são venerados como donos disto tudo, que continuam, de facto, a serem, mudem-se ou não, os governos de direita, para do PS com apoio do BE e PCP, e nada lhes acontece, mas como, porquê? Dizem que é o estado de direito a funcional ,mas qual Estado de direito, se um negro, quando acusado de roubar um TM, vai logo para a cadeia com 4 anos de prisão, outros, uns quantos, são acusados de terem defraudado os portugueses em milhares de milhões de euros : 16 mil milhões( dá para dar 500 € a cada um dos 2 milhões de portugueses abaixo do limiar da pobreza durante 16 meses) ou 200 mil milhões ,bem pior ainda( Paulo Morais e colaboradores , A25A, Novembro 2012) e nada lhes acontece?

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

07 - REGISTO * Discorrendo: Assumpto!


Desde que nos entendemos responsavelmente como gente que compreendemos que só quando nos damos é que a vida faz sentido. Quando nos damos à pessoa amada; quando nos damos ao 
possível projecto de vida; quando nos damos à(s) causa(s) que elegemos.

Nem sempre o darmo-nos corresponde às expectativas que criámos e ficamos decepcionados quando assim sucede.

Um desgosto de amor é um capítulo do «livro da vida» que escrevemos; outro amor que venha não substitui o que perdemos, outro amor é isso mesmo: é outro amor.

Um projecto de vida nem sempre está ao nosso alcance e dele fica a frustração a magoar-nos, mas vamos em frente, porque a vida não pára e porque a subsistência tem exigências inadiáveis.

A(s) causa(s) eleita(s) quase sempre nos exige(m) a integração em colectivo(s). E daí decorre a relação com o outro: às vezes gratificante e frutuosa; outras vezes difícil até ao limite da maleabilidade; outras vezes ainda difícil até à inevitável ruptura.

Temos notícia de histórias de vidas gratificantes; de histórias de vidas que cederam na maleabilidade até extremos quase insuportáveis; e de histórias de vidas que preferiram a ruptura quando os princípios ou os valores ou a dignidade determinaram dizer não.

Não vamos arriscar julgamentos de maleabilidade construtiva ou de rupturas. Recusamos a presunção de nos assumir como o outro. 

Ninguém pode ser o outro, assim pensamos, assim procuramos agir.

Sofremos decepções em projectos de vida e em causas que elegemos. Umas mais dolorosas, outras menos. Há quem sustente que estas decepções são ensinamentos. É matéria complexa, por isso mesmo umas vezes será pacífico aceitar que sejam ensinamentos e outras vezes será preferível considerá-las de outros modos, assim no plural.

A nossa consciência é a nossa bússola. Se bem escolhemos o(s) caminho(s), ela nos gratificará; se mal o(s) escolhemos, ela nos punirá. ~

A nossa conduta, as nossas opções, as nossas decisões serão sempre nossas e sempre da nossa exclusiva responsabilidade.

Ninguém poderá viver por nós a nossa vida; não poderemos jamais viver a vida do outro.

*
José-Augusto de Carvalho
Alentejo, 30 de Novembro de 2016.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

MY GOD! TÃO JOVENS E ALEGRES, TÃO CEDO PARTIRAM.


                                          Jovens jogadores falecidos hoje num acidente aviação



Tão injusto.


Tão precocemente partem.!


My GOD!...



Uma lágrima por eles


Um grande abraço solidário às famílias, à sua cidade e ao povo Brasileiro.


Um abraço ao meu filho e aos seus companheiros do futebol que, como jogadores amadores, amam o Futebol.

Que dor!

Revejo neles, a alegria do meu filho, quando foi a Paris, jogar num campeonato amador.

E que  dor imensa a dos  pais, irmãos, filhos...

MY God!.

Choro todas as demais vitimas
.


Uma Lágrima.


joão



GRANDES VARÕES! VIVA A DITADURA ESCLAVAGISTA-  FASCISTA  PÓS MODERNA DO CAPITAL FINANCEIRO-BANCÁRIO!


 
EIA!

"Fidel Castro, o 25 de Novembro e a opção ocidental

João Carlos Espada

( http://observador.pt/opiniao/fidel-castro-o-25-de-novembro-e-a-opcao-ocidental/")



Convém recordar que Fidel impôs uma paupérrima prisão em Cuba com base na infeliz dicotomia do "fascismo ou revolução" — a que o nosso 25 de Novembro de 1975 felizmente pôs cobro. Pelo menos até agora
Na passada sexta-feira, dia 25 de Novembro, foi lançado em Lisboa o livro precisamente intitulado O 25 de Novembro e a Democratização Portuguesa (Gradiva, 2016). Sob a coordenação de António Barreto, João Salgueiro, Luís Valença Pinto, Manuel Braga da Cruz e Vasco Rocha Vieira, a obra foi apresentada por Jaime Gama e Manuel Braga da Cruz.
Em boa verdade, a iniciativa assinalou bastante mais do que o lançamento de um livro. Culminou um vasto programa de iniciativas da sociedade civil (onze, com efeito) que tiveram lugar durante o ano passado para assinalar os 40 anos do 25 de Novembro de 1975. O livro agora publicado dá conta das comunicações apresentadas em todas essas iniciativas. Um primeiro conjunto de comunicações tinha já sido publicado pela revista Nova Cidadania (No. 58, Primavera de 201.......



COMENTÁRIO:




Grandes Varões Grandes democratas. Faltará sempre ao senhor António Barreto explicar que para aplicar uma lei inconstitucional, à luz da constituição de 1976, mobilizaram a GNR toda, colocaram o Alentejo a ferro e fogo, mataram de morte matada 2 trabalhadores um, o Casquinha, de 17 anos, massacraram as carnes de homens e mulheres, e  revelar quem foi o Fidel de Castro que prenderam? Ou quem era em Portugal  o Fidel, Álvaro Cunhal, mas aconteceu alguma coisa a algum comunista? Se foi um golpe comunista, porque chatearam e prenderam militares que nunca foram do PCP, nem nunca disseram ou viram em Fidel ou em Che " El Comandantes"?

São muito democratas, mas falam sempre sem contraditório. Mas, se são tão democratas e justos, o que dizem sobre a corrupção, o que dizem sobre o crédito mal parado, o que dizem sobre os desvios de capitais públicos, a má gestão de empresas etc. que levaram centenas de milhares de trabalhadores para o desemprego, dezenas de milhares para a miséria e a irem dormir para a rua com as casas penhoradas, centenas de suicídios, enquanto, os falcões, enriqueceram brutalmente, um dos que está na lista  de grande varão fez publicidade enganosa ao banco do sr. Rendeiro . outro grande varão democrata, mas serão mesmo democratas?

Na minha opinião de democrata-republicano, filho do povo, militar de Abril, não ladrão, considero que perante a actual ditadura esclavagista e tantos e tamanhos crimes, e calados estão,  mentem, e, logo ,não são democratas de lado nenhum, são do grupo que o Papa Francisco refere, como sofrendo, eventualmente, de esquizofrenia social.

Mas têm muita sorte a falta de coragem e as negociatas da ocasião de outros deixam -vos o terreno todo aberto para vitoriarem toda a vossa maldade, e, agora, ainda por mais tempo com o aumento da esperança de vida, mas também serão esquecidos, muito embora, a história nunca vos julgue.

Contudo, na pocilga de covardes ,vendidos e silenciosos em que se tornou o ciprestal jardim das camélias tá tudo certo - VIVAM!

Oh varões estais todos bem e muito seguros,porque a vossa Ditadura está vitoriosa e sólida, com a apoio doce dos escravos rendidos, por ordem dos seus capatazes que desde que mamem nas tetas da porca da politica esquecem-se dessas coisas parvas e mesmo criminosas de revoluções etc.etc. etc.

andrade da silva

PS: De acordo com a constituição de 1933 declaro que não sou, nunca fui militante do PCP. nem de nenhum partidos marxista, socialista, social -democrata ou  falangista ou do diabo que vos carregue.