terça-feira, 30 de abril de 2013

A TRANSCENDÊNCIA


  • A  transcendência está nos pequenos gestos das pessoas simples, maravilhosas, queridas, cheias de plenitude e grandeza,e esta gente, cada um diferente, mas todos iguais no que tem de mais nobre um povo e o ser humano :uma ALMA Alva, um peito cheio de AMOR foi a que esteve em S.  Sebastião e no Terreiro do Povo, com as suas Deusas maiores na Ruth Moreira, Lídia , Emília, Mafalda e na grande e querida Clotilde que declamou tão bem e tão ao sabor de Portugal, dos mares e daquele Tejo - filhos de Portugal -um momento de esplendor que vale toda a eternidade que se possa viver;ou o Nuno e outros jovens,e aquela concidadã que distribui cravos,o Nóbrega e aqueles comandantes e o Flores que tão cedo se ergueram para LIBERTAREM A HISTÓRIA dos subterrâneos da mentira, e também lançarem 39 cravos ao rio, significando um certo crepúsculo destes tempos de fome que nos levarão a guerras, mas uma vez mais  selando com a natureza e todos um compromisso de honra, para lutarem,  para que os cravos regressem a um Portugal - MÁTRIA DE TODOS OS PORTUGUESES: JOVENS e IDOSOS, MULHERES E HOMENS ,e ASSIM, SE CUMPRIRÁ PORTUGAL SOBERANO E INDEPENDENTE - VENCEREMOS.

  •  Talvez o Olimpo não seja mais belo.
  • abraço-vos 
  • joão

                                   FOTOS DE VIVER ABRIL, HOJE

FOTOS NOITE E  DIA:

segunda-feira, 29 de abril de 2013

VIVER ABRIL, HOJE: UM ACONTECIMENTO MEMORÁVEL.

(Nuno Melo lê a Moção)

Segundo alguns protagonistas com alma e coração PORTUGUESES:


VIVER ABRIL, HOJE!

Aconteceu e ainda bem. É semente preciosa que merece ser protegida, porque quando germinar  será "Viver Abril Sempre" com crescente número de companheiros a juntar suas vozes às de outros que anseiam por um PORTUGAL PORTUGUÊS.

Já tenho saudade de todos Vós que, sem máscara, escreveram o que escreveram, pintaram o que pintaram e disseram à hora certa o que tinha que ser dito.

Abraços e beijos
Serafim Pinheiro

Obrigada a TODOS, "segundo os costumes"... que aprendi agora.

Foi um evento com grande dignidade, como nunca aconteceu antes, que eu saiba!

Não foi de folclore, foi de ALMA,mesmo!!

ADOREI!!

Vou publicar as fotos no evento e na página, à medida que forem aparecendo. 

Abraços!!

Lídia Simões

Gente querida.
Acabo de chegar a casa. A viagem levou um pouquinho mais de tempo do que o costume, mas nem que levasse o dobro, eu estaria com menos firmeza naquilo a que me propus.
Tenho já imagens que vou partilhar na Net, para fazermos um álbum que será sempre recordado com muito agrado por todos nós. Se alguém preferir por esta via, por favor, avise-me que terei muito gosto em vo-las enviar.

ESTOU E ESTAREI SEMPRE com ABRIL, com a AOFA, com todos aqueles a quem tanto devemos e nos quais e apenas eu confio.Estou farta de discursos bonitos, de traições e desilusões. Estou farta destes biltres miseráveis e só sossego quando os vir ….isso….
Se houver outro evento, um convívio,enfim, alguma coisa em que eu possa participar, por favor avisem-me com tempo.
Não tenho palavras para descrever aquilo que senti….desculpem. Sei apenas que a emoção foi demais…
A todos, o meu OBRIGADA.
Um beijo a todos

Ruth Moreira

A todos vos agradeço, não só pelo que foi feito nestes dias, mas ao que fizeram em 1974, por terem lutado por mime por Portugal.

Tenho pena de não saber como honrar e lutar da mesma forma, mas que saibam que quando for preciso que estarei pronto e firme.

Lamento que o Povo continue adormecido à espera que surja outro 25 de Abril sem terem que sair de sua casa, à espera que venham lutar por eles, enfim, como disse a um amigo "Deves estar à espera de um tweet/SMS/mail a dizer que a revolução está feita, para depois levantares a pe_dado sofá e ires para a rua clamar vitória".
Um forte abraço, e que seja apenas o primeiro de muitos, que nos encontremos mais vezes.

Tiago Vidigal

Caro camarada Serafim Pinheiro


Tudo se deveu a todos, e tudo foi muito importante, mas a ideia fecundadora e fundadora foi sua, constituiu-se,  como o seu patrono.

Cumpriu-se Abril, um  dia Portugal se cumprirá:mais uma semente se lançou - DEVEMOS SEMEAR!

Abraço
andrade da silva

Estou todo partido. É bom sinal.
Foi uma boa luta e na minha opinião valeu a pena.

Temos de combinar um encontro em forma de convívio para recordar esta bela iniciativa.

Bjs e abs para todos, e parafraseando o Andrade, segundo os costumes

Henrique Mendonça


sábado, 27 de abril de 2013

EVOCAR A HISTÓRIA, LUTAR NO PRESENTE, VENCER O FUTURO.

                                      (Evocação  ás 8h 15',do dia 25 Abril 2013, no cais das colunas)



Nota: esta evocação foi feita às 8h 15' do dia 25 de Abril 2013,no Terreiro do POVO, depois falou o Presidente da República e disse que este governo está certo e os portugueses têm de o aguentar e seguir (até os cravos caíram da jarras na assembleia da República) hoje, dia 26 José Seguro diz que os socialistas os verdadeiros sociais-democratas e democratas -cristãos têm de tomar o Futuro de Portugal nas mãos,logo, parece que alguém fica de fora, entre estes os portugueses livres.... o que reforça a dimensão desta evocação)


Evocamos, em luta, a história, para vencermos o futuro.

Nunca a desumanidade e a anti-história vencerão quem ama a humanidade, os seres vivos, a terra e o cosmos.

Nunca nos vencerão aconteça o que acontecer. A luta, ainda pode ser secular,ou milenária, mas nunca, por nunca, os seres das trevas, do ódio e do esclavagismo vencerão o AMOR, A LIBERDADE, A DIGNIDADE.

SOMOS Cidadãs e CIDADÃOS livres,lutamos, amamos, venceremos!

Nesta LUTA sem quartéis,sem dias, nem noites, mas sempre luminosa, corajosa e estóica:
EVOCAMOS A HISTÓRIA DE PORTUGAL E DOS POVOS;

EVOCAMOS OS NOSSOS HERÓIS, O PRIMEIRO DE TODOS, ENTRE TODOS, O POVO ANÓNIMO, OS SOLDADOS, O FUNDADOR DA NACIONALIDADE, OS TANOEIROS REVOLUCIONÁRIOS DA LISBOA DE 1383, A ÍNCLITA GERAÇÃO, VASCO DA GAMA, O POVO DA BATALHA DE ALCÂNTARA CONTRA O DOMÍNIO CASTELHANO EM PORTUGAL, OS HOMENS DA REVOLUÇÃO LIBERAL DE 1820, OS DA IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA E OS MILITARES E O POVO DE ABRIL, OS LUTADORES ANTI-FASCISTAS E DA LIBERDADE, OS QUE JÁ PARTIRAM, MAS, TODOS, ESTÃO AQUI, AGORA ,E SEMPRE.

Evocamos os grandes portugueses das letras, das ciências, das artes, da politica, os heróis das nossas revoluções e os nossos mártires,de entre muitos outros,os seguintes:
Gil Vicente, Camões, Fernando Pessoa, Padre António Vieira, Pedro Nunes,António Damásio, Amadeo de Sousa Cardoso, Vieira da Silva, Lopes Graça, Amália, Zeca Afonso, D. Sancho I ( o Povoador), D. Dinis (o Lavrador), D. João I (o de Boa Memória), João das Regas, Álvaro Cunhal, General Gomes Freire, 1º tenente Machado dos Santos, os Capitães de Abril Ramiro Correia, Salgueiro Maia, Vasco Gonçalves, Carlos Fabião e Costa Martins, muitos mártires, como Caravela e Casquinha...E tantos e tantos outros, porque todos são Portugal, e todos estão connosco e nós com eles, ao continuarmos o que nos legaram, e que será um novo Portugal livre e soberano, quando os Portugueses se erguerem , lutando, como os nossos soldados na Batalha de la LYZ, que abandonados, esfarrapados e esfomeados bateram-se até à última gota de sangue, ou os nossos heróis de guerras desnecessárias em Angola, Moçambique e Guiné,restituírem Portugal, aos Portugueses, como o houve fazer o 25 de Abril.

Não somos um país de covardes, somos parte de uma Nação Valente com nobre Povo. Por vezes, a brutalidade esmaga, em sangue, o justo protesto do Povo, como foi na Batalha de Alcântara nos idos de 1600 contra domínio Espanhol, mas em 1640 corremos com os que vendiam o país e matavam o povo com impostos, para satisfazerem a gula castelhana, que tinha por cá cinco magistrados, que impunham, perante a cumplicidade de uma governação portuguesa submissa traidora, um reinado de terror e roubo mas que acabou por sucumbir , sujando o solo pátrio com sangue de traidores.

Revolta-nos a miopia de governantes, de modernos políticos e alguma piolheira intelectual, que ao lerem mal a História, não quererem teimosamente perceber os sinais de nós todos, que estamos a ficar exangues e não percebem que matam o Povo e Portugal.

Ao chamarmos à nossa presença e vivência quotidiana os que amamos, respeitamos e seguimos, é para, de um modo muito claro, com o pequeno custo que representa este cedo erguer, e o muito que representou a luta contra a ditadura e a arrancada do 25de Abril 74, CONDENARMOS, ESCONJURARMOS OS PERIGOS, EM QUE NOS TRAZEM GOVERNAÇÕES INDECENTES, IMORAIS QUE TÊM DIMINUÍDO O PAÍS, AO SERVIÇO DE INTERESSES FINANCEIROS OBSCUROS INTERNACIONAIS E NACIONAIS.

DESDE HÁ MUITO QUE GOVERNOS E DEPUTADOS COM COMPLACÊNCIA DE ALTOS MAGISTRADOS E COM INCOMPETENTES INSTITUIÇÕES ESQUECERAM OU ABANDONARAM O CÓDIGO DE ÉTICA DO SERVIÇO PÚBLICO, TORNANDO PORTUGAL NUM CAMPO DE SANGRIA DO POVO,DOS TALENTOS JOVENS E DA VITIMAÇÃO DOS MAIS IDOSOS, ENQUANTO PERMITEM VENCIMENTOS E LUCROS IMORAIS A UMA CASTA DE SERES QUE SE DIZEM HUMANOS, MAS QUE DE FACTO O DEIXARAM DE SER, QUANDO PERDEREM QUALQUER SENTIDO DE PROPORÇÃO E EQUIDADE .

ESTES SENHORES,ESTAS POLÍTICAS, ESTE SISTEMA POLÍTICO FAZEM PARTE DO CANCRO MORAL QUE SE ESPALHOU PELO MUNDO E QUE NOS ATINGIU COM A CUMPLICIDADE DE PORTUGUESES QUE SE ESQUECERAM DO POVO A QUE PERTENCEM QUE ARRIARAM A BANDEIRA DE TODOS NÓS PARA AS SUAS LAPELAS, E NÃO SE IMPORTAM DE DESTRUIR
A DEMOCRACIA E O QUE RESTA DE QUALIDADE NA VIDA DOS PORTUGUESES, CONSEQUENTEMENTE, É MAIS QUE TEMPO, DE DIZER- BASTA!

Nós aqui, junto ao TEJO,donde, Portugal se projectou para além dos mares,viemos simbolicamente até esta última fronteira da paz social, para gritarmos com todo o vigor que PORTUGAL NÃO SOÇOBRARÁ:

Se os Portugueses se libertarem de governantes que não se importam de nos fazer voltar às galeras do esclavagismo, dos ferros pão e água e de nos molestar com o chicote dos impostos provocando dano profundo no corpo e na alma;

Se os Portugueses se libertarem deste governo e de todos os que praticando políticas odiosas promovam a guerra das gerações, o desemprego, a fome e a emigração de jovens em desespero de causa;

Se combater a Corrupção, a evasão fiscal, o branqueamento decapitais, as falências fraudulentas;

Se conseguir premiar o mérito,o esforço e a competência;

Se implementar um programa de desenvolvimento da Indústria, da agricultura e das pescas que evite o empobrecimento e o endividamento.

Os Portugueses precisam de ser animados por um Projecto Politico feito em Portugal que impeça a subjugação de ninguém e nos defenda do iminente risco de regresso a uma "Idade-média" pós Moderna com tiranos mais desumanos do que aqueles que daqueles tempos a História reza .

Nós aqui, no cais das Naus, e tendo como testemunhas a história de Portugal, a visão do Padre António Vieira,as musas de Camões, esta terra, este céu de Portugal e este palco de acontecimentos importantes no 25 de Abril 74, condenamos para todo o sempre e esconjuramos até ao fim dos tempos, Todos, mas mesmo Todos, os que carregam para Portugal desespero, melancolia,sofrimento e morte, e DIZEMOS junto ao Tejo com as Tágides : Malditos sejais se sabeis de tanto mal que a tantos fazeis.

Que os poderes insanos que tanto destroem, entendam que aqui chegados, ao limite do terreno da luta sábia e pacifica, neste terreiro simbólico, só resta a todos e por todos MANTERMO-NOS DE PÉ E UNIDOS,para que viva a luminosidade, humanidade, liberdade e dignidade republicanas, de que o ventre de Abril estava prenhe.

Pela DEMOCRACIA, A DIGNIDADE E O DESENVOLVIMENTO, ESTAMOS DE PÉ e na SENDA do QUATRO D de Abril: DEMOCRACIA, DESCOLONIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO, DIGNIDADE, sendo que agora se trata da nossa própria libertação da colonização a que estamos sujeitos, e que só o conseguiremos pela conquista da nossa dignidade pessoal e da independência Nacional

Estamos aqui Vivendo Abril ,Hoje, para saudar a Nação Portuguesa. E PELOS PORTUGUESES, COM OS PORTUGUESES E PARA OS PORTUGUESES -
QUEREMOS EXPULSAR ANDEIROS; E HONRANDO HINO E BANDEIRA, uma vez mais, gritarmos bem alto:
VIVA A LIBERDADE!

VIVA O 25 de ABRIL!

VIVA O NOBRE POVO PORTUGUÊS!

VIVA PORTUGAL! SEMPRE!

andrade da silva, Henrique Mendonça,Serafim Pi
nheiro


                                               BEM VINDA

Rita Veloso traga mais 5 amigos-

sexta-feira, 26 de abril de 2013

A FESTA/LUTA FOI LINDA PÁ!



                            




Quando toca a doer, ou há algum incómodo só se agigantam os grandes e os nobres, como na noite de 24 Abril de 2013, em que, pelas 22 horas, umas dezenas de militares de Abril do Exército, Marinha e Força Aérea: oficias, sargentos e praças, todos, acima de tudo, soldados de Portugal estiveram presentes,  junto ao antigo quartel do Governo Militar de Lisboa.

Militares de Abril- que grande honra ser um deles -  sempre generosos e disponíveis para correrem algum risco, e, connosco estiveram tão heróicos, como há 39 anos, cidadãos, mulheres e homens: uns jovens, outros até com experiência do cativeiro na Índia.

Todos estivemos ali, usando da palavra com a alma e o coração, mas muitos infelizmente não responderam à chamada: havia um risco, que depois de terem dito presente,  talvez o risco  a alguns os  tenha intimidado, e navegaram por outras águas.


 Demos conta, mas navegamos para Portugal, com Portugal, e, desde sempre,  Portugal foi defendido,  e somente  é Portugal pela heróica acção de muito poucos. Os castelhanos em 1600 contaram com muitos andeiros e o Salazarismo com muitos bufos e colaboracionistas, logo, hoje, nada é diverso, mas nós conhecemos o lado de PORTUGAL: não somos os bons, simplesmente temos um coração português, identificado com Portugal e a sua história, a palpitar, o que, pode fazer toda a diferença.

Aos jovens Nuno Melo,  Mafalda Barbosa  Tiago Vidigal, entre outros, às mulheres entre outras a Ruth Moreira que veio do Porto, a Emília Tavares que veio de Castro Verde, a Lídia Simões, a muito querida Clotilde que leu um poema de Solange Oliveira - Os Filhos de Portugal - ao José Sande e aos meus queridos camaradas, entre muitos, Serafim Silveira que nos lançou nesta grandiosa aventura, aos comandantes Mendonça que a partilhou, secundou e a realizou, como autor,  aos seus autores Custódio Jesus e Vítor Lambert, ao Matos Serra que veio quase de Portalegre para dizer-nos os seus poemas, ao Cândido que veio de Aveiro, ao Fernandes que veio de Grândola, aos nossos camaradas Coronéis eméritos Pamplona, Carvalhão, Lameirinhas, Filipe  Frade, aos comandantes eméritos Francisco Baptista, Heitor Alves, Moura , Caldeira Santos e outros, ao nosso grande camarada Lima Coelho, presidente da Associação de Sargentos, que esteve todo o tempo connosco e foi incansável; ao nosso camarada da força aérea tenente-coronel na situação de reserva António Mota, aos outros militares de Abril que deram o seu contributo como o Vítor  Pássaro e o Albuquerque, aos amigos dr. Botas e Álvaro Sousa Santos, companheiros de outras aventuras na psicologia e nos estudos de investigação, ao meu caro conterrâneo Nóbrega meu colega dos  tempos liceais,  à Mariana Valente que fez o cartaz, ao sargento de dia do antigo quartel general, à PSP que foram impecáveis e de uma eficiência completa, a todos ,e, ainda ,ao Exmo general CEME e Vice CEME,e ao Sr. Major general Cunha, que nos deram o apoio logístico que pedimos e nos receberam com a camaradagem substância maior das Forças armadas,ao Eduardo Milheiro que as trocas da vida não permitiu estar presente,como  essa Alentejana de fibra Maria Joaquina  e também à Exma senhora Chefe do protocolo da Assembleia da República por ter corrigido uma primeira decisão, ao militar que o é, pela influência que  na sua decisão teve o meu porte de capitão de Abril nos idos de 75 em Terras do Couço; ao coordenador das associações populares de Lisboa, e a todas e todos que estiveram presentes e foram a razão de ser deste ACONTECIMENTO, por tudo isto, e pelo muito que fica por dizer, a todos endereçamos o nosso bem-haja, por tudo quanto fizeram, para que esta simples modesta e eloquente vivência de Abril, da Liberdade e da história, se pudesse realizar.

A todos um grande abraço e como já o comandante Serafim Pinheiro e o Mendonça fizeram sentir e ,por certo, todos nós sentimos -  Viver Abril , Hoje, exige de todos nós um continuado esforço pelo que, não devemos, NEM PODEMOS DESISTIR, desta semente.

 Todos, hoje, depois deste pequeno gesto, ficamos física e psicologicamente mais conscientes do esforçado esforço do 25 de Abril 74, e que o  seu sucesso se deveu a muitos factores, mas sobretudo  à Juventude dos seus autores e actores,o que, importa sublinhar, e nunca esquecer esta grande lição que revivemos: sem os jovens o destino de Portugal  está traçado e escreve-se com poucas palavras: MORTE DA VIDA, ponto, definitivo.

Saudações de Abril por Portugal
andrade da silva

quinta-feira, 25 de abril de 2013

UM NOBRE E BELO FEITO- VIVER ABRIL,HOJE!




Pela nobreza, honra dignidade,cooperação intergeracional, amor a Portugal, criatividade desde a MarianaValente, à Solange e a todas e todos que deram o seu melhor, para a realização de uma das mais belas vidas de Abril,  e pela grandeza da Alma dos que vão participar - VIVER ABRIL,HOJE! já é, e será UM GRANDE E MUI NOBRE FEITO,  da melhor gente de um pais - os cidadãos, simplesmente cidadãos.

QUE GRANDE E DITOSA É A NOSSA PÁTRIA, PORQUE NUNCA DESISTIMOS NEM DELA, NEM DE ABRIL!

UM abraço do tamanho do Cosmos.

Andrade da Silva

25 de Abril Sempre




Cravos de Abril
Vermelha flor
Pétalas mil
De rubra cor.
Abril florido
Cravos de Junho
Entrando em Maio
Esperança em punho.
Cravos de Abril
Na história acesa
No céu de anil
Nasce a certeza
Da Liberdade
Pura e fraterna
Sem a maldade
De quem governa.
Abril em flor
Abril de risos
Semeia amor
Gestos precisos
A Pátria avança
Devagarinho
Ave ou criança
Deixando o ninho.
Alvoreceram no dia novo
Novas sementes
Para o rei-povo.


 
Marília Gonçalves       

quarta-feira, 24 de abril de 2013

UM NOBRE E BELO FEITO- VIVER ABRIL,HOJE!



Pela nobreza, honra dignidade,cooperação intergeracional, amor a Portugal, criatividade desde a MarianaValente, à Solange e a todas e todos que deram o seu melhor, para a realização de uma das mais belas vidas de Abril,  e pela grandeza da Alma dos que vão participar - VIVER ABRIL,HOJE! já é, e será UM GRANDE E MUI NOBRE FEITO,  da melhor gente de um pais - os cidadãos, simplesmente cidadãos.

QUE GRANDE E DITOSA É A NOSSA PÁTRIA, PORQUE NUNCA DESISTIMOS NEM DELA, NEM DE ABRIL!

UM abraço do tamanho do Cosmos.

andrade da silva

segunda-feira, 22 de abril de 2013

PORQUE É ABRIL, DE QUE ME ACUSARAM? UMA PÁGINA DA ESFARRAPADA HISTÓRIA.

                                  ( quando em 1975 dizia ao Povo que teriam de fazer as coisas)

 Mas de  que me acusaram?

Há sempre uns grandes amigos do dia 24 de Abril, ou do 25 de Novembro 75 que dizem que nada do que me aconteceu,  suspensão de funções; deportação para a Madeira; processos disciplinares; duas idas à prisão e duas preterições na promoção com a perda de dois ou mais anos na antiguidade e nos vencimentos - um ano ou mais, como major ( 2.100 contos), um ano ou mais como coronel ( 28 mil euros), nada tem a ver com a minha participação no 25 de Abril, mas com actos, para alguns mesmo tresloucados, no PREC,  (para alguma boa rapaziada de uma certa esquerda marcelista sem marcelo, eu até sou mesmo alguém estranho, pudera! Quanto ao pensamento são mesmo uma piolheira,   discos riscados; e quanto à coragem gostam bem mais de uma sala de jantar, ou de uma boite do que da rua,e pior do conflito) todavia eles, estão mesmo OFICIALMENTE ENGANADOS, porque oficialmente fui acusado pelos actos que pratiquei entre 25 de Abril 74 e o 25 Novembro 75, nem mais um dia para a frente, nem para trás,e, então, de que me acusam? Segundo o relatório do general Ajudante general, de 14 de Março 1977, acusam-me:

- de ter praticado  actos  que justificam que seja submetido ao vosso julgamento ( Conselho Superior e Disciplina o Exército)

- assim este oficial ...no período entre 25 Abril 74 e 25 Novembro 75 (sic) , é acusado de ser directo responsável pela conduta e actos que facilitou directa ou indirectamente, que a seguir se indicam em resumo:

- participação destacada em algumas ocupações ilegais e violentas de herdades, nomeadamente do Hotel Planície em Évora , em 1 Agosto 75 ( a verdade participei em muitas acções para colocar as terras incultas a produzirem, então, o MFA não abordava a questão da titularidade da posse da terra  que seria discutida em sede da lei que até Agosto 75 não fora promulgada, aumentando nesta data os movimentos, estes sim, gigantescos de trabalhadores, como foi o caso do Couço)

-em 15 de Outubro 75 incita os trabalhadores a participarem numa manifestação SUV ( nunca ouvi falar da sua existência em Évora) a fim de contestar o comandante da RM Évora ( brigadeiro Pezart Correia);

- Em 25 Novembro 75 desloca -se de Évora a Vendas Novas sem a devida autorização, e,  aparentemente troca impressões genéricas sobre situação com vários elementos da Escola Prática de Artilharia (A verdade desloquei-me, porque o Quartel em Évora era  dos 9, não sabia nada do que se passava, e o Pinto Sá (pai) de Montemor disse-me que os capitães Ferreira de Sousa e Amílcar tinham sido presos e a seguir seria eu. Como delegado do MFA em toda a região militar não precisava de  autorização para me deslocar,  aliás, fiz muitos movimentos sem guia de marcha, para não receber ajudas de custo);

- ter interferência na tentativa de desmobilização dos Soldados do Regimento de Cavalaria de Estremoz que às ordens do PR, em 26 de Novembro se dirigiam para Lisboa (falso nunca os contactei);

- ter telefonado para o Copcon avisando da passagem daquela coluna pelo Vimeiro:( uma verdade, pois devia fazê-lo)

-è acusado de ser um individuo ( deixei de ser capitão ou oficial) exuberante, ( esta, ADORO) imbuído de fanatismo ideológico, impulsivo e imponderado, sendo os próprios superiores que se pronunciam desfavoravelmente em relação à sua personalidade e maneira de ser ( tinha 25/26 anos) que pretende impor a sua opinião contra tudo e todos ( dizem estes bons amigos,e os bons democratas de hoje e sempre, nisto há uma santa e diabólica aliança, entre abúlicos, covardes e paquidermes sou pior que o diabo, porque eles sabem o que penso sobre essa gentalha, são um vómito) abusando das suas atribuições  Não se inibiu de mandar prender civis por motivos estranhos às autoridades militares, fixando até prazos para essas prisões ( se pudesse prender teriam ido dentro muitos latifundiários por puro roubo e sabotagem e militares, ditos de Abril, por  traição e comportamentos em favor dos fascistas e os pides –os torturadores . Pedi o julgamento destes criminosos - que mataram  nacionalistas  africanos às postas - nas assembleias do MFA ao Generais Costa Gomes,Vasco Gonçalves e Fabião);

- em 1975, num comício (?) em Coruche declarou que os trabalhadores poderiam assaltar a casa dos patrões e apropriarem-se dos bens, quando não lhes pagassem os vencimentos ( nunca o disse, mas... de qualquer modo pagaram, quando intervim milhares de contos de vencimentos em atraso, como, por exemplo,  no restaurante o Fialho de Évora,etc etc Então quem trabalha não tem de receber um justo,que rara vezes é,vencimento? Exigir isto é ser comunista, ou imponderado, ou impulsivo?

- em 13 Março 1975 em Coruche incitou à violência e ao saneamento de várias individualidades ( a verdade: neste dia, após o 11 Março 1975, o povo derrubou as estátuas do major Oliveira fundador da PVDE e a de VeigaTeixeira, pai, pedi para guardarem as estátuas, podiam servir para obter fundos, pura e simplesmente acompanhei as populações, quanto à do Major sem nenhuma hesitação);

-Promoveu um plenário da associação de Regantes do vale de Sorraia, introduziu elementos estranhos e segundo indicações do PCP local saneou os corpos gerentes ( a verdade: houve o plenário,sei lá eu quem lá estava, para pedir contas ao filho do engenheiro Rapazote, ele próprio perante a pressão demitiu-se, o que, até considerei  precipitado, mas...eu não era Deus, nunca fui, logo...)

- procurou impor um contrato ruinoso de arrendamento rural (falso nunca estive em nenhum, mas neste caso esteve um elemento da minha equipa,  o furriel Sequeira,sobre a queixa nada sei, porque foi feita contra mim, pós 25 e Novembro, já lá não estava, mas a orientação estrita era respeitar os direitos das partes e o furriel Sequeira falou do livre consentimento do dono, o que, julgo ter sido o caso, naturalmente do modo que sendo justo cobrisse a injustiça que estes proprietários provocaram durante anos contra os alentejanos);

Interferiu num interrogatório na EPA, fazendo comentários não reproduzidos que levou um seu superior a ter necessidade de intervir ( Falso,o que aconteceu é que uma herdade do Sr. Vacas Carvalho de Montemor foi ocupada pelos trabalhadores, e quem lá esteve foi o meu camarada  capitão Castro Pires e não eu, mas a este capitão o sr. Vacas de Carvalho tece rasgados elogios, todavia porque estavam armados com espingardas automáticas  o capitão Castro Pires traz toda a gente para o quartel de Vendas Novas, onde  me encontrava. Neste caso, como em quase todos os complicados foi- me pedido para intervir pelo tenente coronel Segurado 2º comandante da EPA, e a frase não reproduzida,  mas que devia ter sido  foi esta: SE TENTAREM, COMO PRETENDEM, REOCUPAR A HERDADE PELA FORÇA, TERÃO PELA  FRENTE UM FORÇA POR MIM COMANDADA COM AS ARMAS APONTADAS PARA VOCÊS,  PORQUE JÁ SE DERRAMOU MUITO SANGUE DE TRABALHADORES, E AGORA, SE HOUVER DERRAMAMENTO DE SANGUE JÁ NÃO VOLTARÁ A SER DO DELES - honro- me desta declaração, e eles desistiram do seu intento, porque sabiam que não haveria contemplações.

- Chamou ladrão e fascista a um civil que manteve preso durante 5 dias,é referido um tal António Vicente de Carvalho ( como podia prender se não tinha nenhuma prisão ou coisa parecida? Chamar ladrão e fascista  raras vezes o fiz, mas admito que tenha feito umas quantas vezes, ninguém é de ferro);

- no Escoural intimou o dono do cinema a dar as chaves  deste ao povo,em cuidar dos seus direitos (os factos: é verdade, o  cinema estava transformado em celeiro,ficou assente  que o povo do Escoural, pagaria uma renda, mas o cinema teria de funcionar, obviamente );

- em 13 Março 75,pelas 4 da Madrugada dirigiu-se com vários civis e militares a casa de  Vacas Nunes em Montemor, tendo arrombado uma janela e entrado na mesma, antes tinha dado uma rajada  para o ar ( Os factos: recebi do Capitão Duarte Mendes oficial de dia à EPA, mais uma vez,como quase sempre acontecia,neste tipo de missões,  uma ordem para deter 3 indivíduos que estavam cercados pela população em Montemor,  um deles era o  Sr.Vacas Nunes, outro um Dr. Álvaro Cunhal( latifundiário),e um outro. Quanto ao Sr.Vacas Nunes diziam que ele era responsável pela morte de um trabalhador nos anos  50, e que, então, tinha até alterado o trajecto do cortejo. fúnebre  A raiva era muita e os populares acusavam-no de ter armas e ser do ELP.  Para lhe garantir a segurança depois e dar tiros para o ar,de dizer quem éramos, assaltamos a casa, conforme está descrito.Lamento que à frente dele no cimo das escadas ele apresentasse uma criança, que lhe pedi que retirasse, o que ele não fez. Expliquei-lhe ao que vinha e que era para lhe garantir a segurança física  nunca o compreendeu. O dr. Cunhal não estava em Montemor logo não foi detido, e ainda foi connosco, a seu  pedido,  um latifundiário, de nome Godinho.


E pronto. Haverá Portugal, SEMPRE! Mas com Abril arranjei alguns amigos e muitos sarilhos, mas valeu e valerá a pena sobretudo se Portugal vencer. No meu Abril não cabem os fascistas, nem os pós-pseudorevolucionários protofascistas.

andrade da silva

domingo, 21 de abril de 2013

ABRIL,HOJE.




                                                 ABRIL,HOJE!


Um Novo modo de VIVER ABRIL, fora de estruturas, um acto de pura liberdade, e criatividade, com os meios dos descamisados - nenhuns.

Uma memória longínqua dos tempos de Paris da Revolução Francesa, ou da Rotunda de 1910.

 Uma ligação à história que há-de ser memorável.


UM GRANDE ACTO DE LIBERDADE, ARTE E LUTA.

andrade da silva

Cartaz: Autora Mariana Valente.

sábado, 20 de abril de 2013

A HORA, O TEMPO DA CORAGEM CHEGA SEMPRE COM A PRIMAVERA.


                                                              cartaz de Mariana Valente



Em 24 e 25 de Abril de 2013 viveremos as mesmas sensações, angústias e certezas daquele 25 de  Abril  74 que crepuscula, mas que se reerguerá e com redobrada força  fará de todos os dias –  “O DIA INTEIRO”.

No dia 24, às 22 horas, no largo de S. Sebastião da Pedreira gritaremos bem Alto: POR PORTUGAL, PELA SUA INDEPENDÊNCIA  E PROSPERIDADE  - PRESENTES!

Em 25 de Abril, às 7 horas, no Terreiro do POVO, saudaremos o nascer do DIA INTEIRO.

andrade da silva


Para que a ditadura consentida por muitos não se instale de novo: http://www.facebook.com/events/122534374608882/

VIVER ABRIL, HOJE
24/4 às 22:00
Quartel General do Governo Militar de Lisboa, (Largo S. Sebastião da Pedreira)
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

quinta-feira, 18 de abril de 2013

VIVER ABRIL,HOJE.




 "SOMENTE AOS QUE AMAM O SEU PAÍS E POVO,E NÃO SE RENDEM"

ESTE VIVER ABRIL,HOJE,  TEM UM CUSTO FÍSICO E PSICOLÓGICO ASSOCIADO QUE É O ÚNICO CAMINHO QUE PREPARA OS CORPOS E AS ALMAS PARA UM PROVIR DE GRANDES E GRAVES PERIGOS.

 ESTAMOS NO LIMITE :O SIMBÓLICO É A LINHA IMEDIATAMENTE ANTES DO ABISMO FATAL, E É ISTO QUE ESTE VIVER ABRIL,HOJE, COMO INICIATIVA CIDADÃ, QUER DIZER A TODOS: CONCIDADÃOS PORTUGUESES, GOVERNO, PRESIDENTE DA REPÚBLICA, ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA,  PARTIDOS,   EUROPA. 

ESPEREMOS QUE NINGUÉM ESTEJA SURDO, CEGO E MOUCO, MAS SE ALGUÉM ESTIVER O DENUNCIAREMOS, E NESTE CAMPO  DA NEGAÇÃO A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMEÇA A ACANTONAR-SE, AINDA ESPERAMOS QUE ACORDE COM A LUMINOSIDADE FORTE DE ABRIL, MAS...

andrade da silva

cartaz de Mariana Valente
Para que a ditadura consentida por muitos não se instale de novo: http://www.facebook.com/events/122534374608882/

VIVER ABRIL, HOJE
24/4 às 22:00
Quartel General do Governo Militar de Lisboa, (Largo S. Sebastião da Pedreira)
Convidar amigos · Vais