sábado, 31 de março de 2012

O HEROÍSMO DE SER PORTUGUÊS.

                                        (  O heroísmo de ser portuguesa, e não emigrar - a  mulher portuguesa-
                                                                       Símbolo  deste POVO)


                                                           Vida de Herói


Vida de Herói é curta
Mas gloriosa!

Incansável!

Cheia de aventuras,
Combates,
Tribulações,
Mas venturosa!

Na luta inúmeros inimigos vence
O espírito não o abandona,
A tribulação não o incomoda,

Maior o obstáculo, maior o desafio,
Maior o problema, mais criativa a solução!
Maior erro, melhor aprendizagem!
Maior ousadia, melhor realização!
Maior desafio, melhor empreendimento!

Inovador,
Sempre se reinventa,
Natural triunfador!

Eficaz antibiótico contra a mediocridade,
Combate os poderes instalados,
 Resplandece a sua autenticidade!



                                                  Filipe Papança



 Nota:  É com muita honra e uma grande plenitude espiritual  que se posta tão belo e profundo poema. Muito obrigado Filipe.
asilva

sexta-feira, 30 de março de 2012

AS VITIMAS QUANDO FALAM TÊM DE SER CALADAS. LOGO…





Só que esquece a CIA, e devia saber, que em nenhum país do Mundo, sobretudo da NATO, os militares são tão DESRESPEITADOS NOS SEUS DIREITOS, com
o em Portugal e, isto,  com todos os governos.

A CIA também nunca gostou dos militares portugueses, já Kissinger mandou expulsar no 25 Novembro 75 os " comunas " da tropa.

A CIA de facto não gosta dos Militares portugueses. Mas devia ser um pouco mais inteligente, e dizer ao governo Português para respeitar os militares, como eles, os americanos, ou melhor o Canadá,  respeitam, ou se não puderem, pelo menos como os espanhóis, para não falar no Bangladesh que é pobre e ditatorial.

Mas a CIA ainda podia ser mais inteligente, e dizer ao Governo para respeitar os direitos constitucionais, morais e legítimos de todo o povo português que se levanta todos os dias de madrugada, para ir trabalhar. Isto, sim seria inteligente, o resto é pura BURRICE e Baixa provocação.



andrade da silva

quinta-feira, 29 de março de 2012

UMA FICÇÃO POLÍTICA DE GRAVE RISCO



www.tvi24.iol.pt
Primeiro-ministro disse em entrevista à TVI, contudo, que não haja outras medidas do ponto de vista da «despesa pública»



Na linha do que tinha previsto, estamos perante uma ficção politica que pode ser desastrosa.

 É preciso acertar as contas, mas  também investir, combater a corrupção, ser equitativo, e só está a acontecer - AUSTERIDADE MAIS PARA UNS DO QUE para outros, como os que nunca tiveram férias, -  férias no  sentido de sair de casa, e  ir até à terra que no meu caso é a Madeira, e que só de viagens custa mais de 300 euros por pessoa, se convidar o meu filho são perto de 700, e obviamente que se 300 já é um grande esforço para um vencimento, 700 é uma impossibilidade - a  que  se juntam outros milhões este ano: funcionários públicos, militares, forças de segurança  e pensionistas.

ISTO NÃO PODERIA SER, SE PORTUGAL  não fosse JÁ um grande CEMITÉRIO para milhões de portugueses  mortos-vivos, que ainda sorriem para todos estes senhores que nos andam a gozar.

 Ouvir a Sra. Avilez e o Sr. Sarmento a comentarem a entrevista do Sr. Primeiro-Ministro é algo que embrulha o estômago.

Pobre Portugal com esta gente e com a luta para mudar este estado de coisas espartilhada por pensamentos totais. Assim  vamos ir parar  ao charco: uns, mais que outros também.

MAS REINA A TRANQUILIDADE E A INDIFERENÇA QUE TAMBÉM PODE SER UM SINAL PREOCUPANTE  DE GRANDE TEMPESTADE. But, siga a banda...

andrade da silva








terça-feira, 27 de março de 2012

UMA OBRA COM INTERESSE HISTÓRICO, CIENTIFICO E CULTURAL.



Caras  amigas,amigos 

Deixo-vos o  convite do Dr. Filipe para o lançamento de uma obra com interesse histórico e cultural significativos, de um modo particular para o ensino superior Militar e o ensino da matemática e  a estatística em Portugal, com algumas curiosidades poéticas pelo meio. O autor também é poeta.



asilva


EDP UM NEGÓCIO DA CHINA ANTES DE O SER.

Claro, clarinho, só não entendem os cegos, os surdos e o comprados. 
A electricidade é uma grande negócio da China para a EPP, que pagam os Portugueses de hoje, e as Gerações vindoiras.
 Não sei se o Prof Paulo Pinho foi da UEC, como agora alguns pretendem conectar quem fala, ou qual seja o seu partido, mas revela conhecimentos, e diz o que o Secretário de Estado da Energia queria fazer por bem de Portugal e ,por isso,foi demitido.

 Nestes negócios desastrosos o governo Português gasta 100% para poupar 20%, logo falta-lhe substancia cinzenta, o que, sobeja na EDP, como refere o citado professor,para bem do sorvedouro EDP/CHINA e mal para todo o PORTUGAL ,até a troika acha isto  ESCANDALOSO,e ele não são da UEC, a não ser que...

Uma grande e muito brilhante lição que revela como o sector eléctrico é um estado dentro do Estado, e como por causa dos 7 mil milhões de euros dos chineses, quando no futuro tivermos de pagar todos os juros e défices de todas as contas vamos estar bem pior que hoje. 

segunda-feira, 26 de março de 2012

SR. PRIMEIRO-MINISTRO, É FALSO O QUE DIZ.




Nota:  
Este texto baseia-se num facto real, o corte dos 13º e 14º meses aos servidores da República,   e que estes cortes não foram aplicados linearmente, como disse o Ministro Miguel Relvas, houve adaptações que também podem ser feitas nos militares e funcionários públicos , e,  ainda, que o corte do 13º é um atentado à saúde de milhões de portugueses:  os servidores da República e as suas famílias, consequentemente este texto é alinhado com os factos e os saberes da psicologia na área da saúde mental.”



É FALSO que todos tenham sido sujeitos aos mesmos cortes salariais  do 13º e 14º meses, com a mesma metodologia e com as mesmas consequências.

 Como já explicou o Ministro Miguel  Relvas em muitos sectores houve adaptações de modo que nos sítios  de luxo, onde, havia anéis, mordomias  ilegítimas houve um corte nestas, de tal modo  que no computo da despesa geral do Estado obtém-se a diminuição da despesa prevista, mas tudo  isto é um mero jogo semântico, malabarista  e cínico, e  porquê?

Desde logo, porque aos funcionários públicos, aos militares e  aos pensionistas cortaram logo os dedos, e no caso do 13º mês o Governo atenta contra a saúde dos trabalhadores e  das suas famílias.

O gozo de férias é um bem de  protecção  da saúde, sobretudo  da mental, para evitar a exaustão psicológica, e TRATAR, prevenindo, ou mesmo como terapêutica, o stresse profissional disruptivo, que irá dar no futuro mais baixas, conquanto o Divino sociólogo António Barreto venha dizer que não. Todavia esta matéria é do foro da psicologia e não das artes de mistificação do sr. Barreto. Retirar este suplemento de saúde deveria ser considerado um crime contra a saúde pública, sobretudo a mental.

Concluindo quando nuns os descontos vão incidir sobre rendimentos suplementares, mordomias, nos funcionários públicos e pensionistas são  logo a  cortar na carne e no osso de quem tem magros vencimentos, que a olhos vesgos parecerão muito gordos, face ao miserável ordenado mínimo nacional.

Todavia, como se pode entender que se corte o 13º aos servidores do Estado,  quando nos mais altos escalões estarão  a ganhar entre os 3500 e 4000 euros, e nada aconteça aos que no sector privado com alguma facilidade ganham mais  de 10 mil euros/ mês etc. Etc.

Concluindo se a supressão  do 14º mês é um abuso inqualificável, porque estamos a falar de vencimentos, a eliminação do  13º pelas razões que referi NÃO PODE SER ACEITE POR NINGUÉM É UM ATENTADO  À SAÚDE DE MILHÕES DE PORTUGUESES, porque também afecta a família dos servidores públicos.

Mas porque falam tão pouco desta matéria os sindicatos? Vão para Tribunal, mas quando houver uma decisão muitas centenas já estarão exaustos, ou mortos.

É preciso reagir com VIGOR, os concidadãos que ganham acima de 1600  em média  até 2500 euros, não são uns b.m. de uns burgueses privilegiados, vivem melhor que muitos, mas pior que outros que sem emprego certo, ou com emprego,  fazem os tais biscates que não sujeitos a impostos,  compõem muito bem o orçamento familiar, e, por esta via, muitos escapam aos impostos, prejudicando as receitas do Estado em 23%, ou mais do PIB. Somos um país bastante longe de termos um grau de moralidade pública recomendável.

Devem abrir-se negociações para que de algum modo todos possam gozar férias, e para que isso  aconteça não chegam os vencimentos normais,. Sem inversão desta politica desinteligente e desumana, o GOVERNO, CONDENA as famílias a não gozarem férias, ou a recorrerem ao cartão de crédito , endividando-se para terem acesso a um direito profissional e a um bem de saúde inquestionáveis, o que, é inaceitável.

andrade da silva


PS:
 Será sempre bom lembrar aos que eufemísticamente dizem que o POVO PORTUGUÊS VOTOU e continua a votar neste governo  que isto é  FALSO.
É uma MISTIFICAÇÃO, porque a realidade é outra, é a seguinte:  50% dos portugueses não votaram em NINGUÉM, e mesmo que 50% dos restantes tivessem votado neste governo, esses votos só representariam  25% dos portugueses, isto é, 75% dos portugueses podem não ter nada a ver com este governo, e 50% nada a ver até com este sistema, mas de certeza que  estes 50% que não votam sistematicamente não se sentem representados por estes partidos. É o que se pode inferir da análise sociológica que todos têm mandado  às urtigas até o dia de todas as surpresas.


domingo, 25 de março de 2012

"Funcionário Público, Militar, Pensionista.... Condenados"



Publicado na página do facebook da:

 AOFA - Associação de Oficiais das Forças Armadas

‎2012-03-23 - Andrade da Silva - "Funcionário Público, Militar, Pensionista.... Condenados"



http://www.aofa.pt/artigos/Andrade_da_Silva_Condenados.pdf

sábado, 24 de março de 2012

AOS CONDENADOS À MORTE LENTA OU RÁPIDA, COM GRANDE SOFRIMENTO.





 A TODA A GENTE DIGNA, HUMANA GRITO:


Os  distraídos em Portugal, quanto ao serviço Nacional de Saúde,  são muitos. Mas queridos e muito tristes  portugueses, vos  esqueceis de  duas ou três coisas essenciais, mortais mesmo, para os distraídos, os incautos e os medrosos – podeis, podemos,  ser MATADOS DE MORTE MUI DOLOROSA E LONGO SOFRIMENTO, porque:

1-todos os deputados, (sublinho todos) e  todos (sublinho todos) os militantes de referência, através de amigos  e das células  activas dos partidos que estão por todo o lado:  nos sindicatos, nos hospitais, na justiça etc. para se protegerem uns aos outros e em dados sectores, como na justiça,  lixarem os outros,  terão acesso, RÁPIDO E PREFERENCIAL, no SNS,  portanto, falam das coisas que dão mais votos, neste caso as taxas moderadoras, embora mais de 6 milhões de portugueses estejam isentos,  e estatisticamente são estes que têm um elevado padrão de frequência nas consultas, nem sempre por motivo de evidente doença, como todos sabem;

2- 30% dos europeus, logo portugueses também, vão ter em idades provavelmente mais avançadas, mas  também precoces UM CANCRO: as mulheres  com maior incidência da mama e do útero; os Homens com maior incidência da próstata, para além de outras doenças  como aLzheimer que é muito complicada e cara, muito cara mesmo, as coisas normalmente não se passam como nas telenovelas. Passei três dias sozinho com a minha mãe numa fase inicial  da doença, e escrevi um caderno, onde,  conto os sintomas e comportamentos associados à doença. A minha irmã e cunhado viveram este quadro durante anos, verdadeiro heróis.

3- Como todos sabem o acesso rápido ao tratamento do cancro e outras doenças é FUNDAMENTAL, mas sem médicos, sem tratamentos as doenças, as mortes  e o SOFRIMENTO aumentam;

4 - a lutas sociais devem basear-se e referirem-se aos problemas prioritários : DESEMPREGO e falta de pão que soluções viáveis no curto prazo?; HABITÇÃO sem habitação não há famílias, nem saúde - que soluções viáveis no curto prazo?; SAÚDE sem médicos, sem medicamentos e sem tratamentos morre-se fora do tempo da esperança de vida, vive-se pior e morre-se com grande SOFRIMENTO, num tempo em que há meios para não ser assim, que soluções viáveis no curto prazo? 

Pão, trabalho, habitação, saúde são a base da vida, sem a satisfação destas necessidades básicas não há vida – HÁ MORTE.

 A LUTA POLÍTICA E SOCIAL DEVE SER PELA VIDA. E este tema diz respeito a TODOS OS PORTUGUESES,  sobretudo aos 9 milhões e 500 mil que não pertencem a nenhum partido, e aos 7 milhões que não têm dinheiro para se tratarem na medicina privada.

andrade da silva

PS: como de costume este texto, vai ser considerado maldito,  e não vai ser lido  por um dado  estilo de militantes, nem pelos meus amigos que forçadamente me querem identificar como alinhado  de partidos.  Mas sou, como sempre fui, somente,  um ALINHADO COM A JUSTIÇA SOCIAL, AS VERDADES E A LUTA PELA VIDA, ponto.


BEM VINDA Graça Santos traga mais cinco a esta coluna que luta por a causa maior de Portugal e dos Portugueses, o que muito poucos compreendem, habituados que estão a lutarem pelo interesses parciais dos seus partidos, e pior dos secretariados e secretários-gerais dos mesmos. Sem militantes críticos e cidadãos livres e activos a DEMOCRACIA  FALECE, E  VAI  MORRER.






sexta-feira, 23 de março de 2012

PORTUGAL: DITOSA MÁTRIA ! QUE COLOSSAL PROBLEMA TE DILACERA!


NOTA: este texto é dirigido para  todos os cidadãos livres, autónomos que defendem a LIBERDADE, A DIGNIDADE HUMANA e o DESENVOLVIMENTO, os demais nunca o entenderão, porque cavam a  SEPULTURA DE PORTUGAL E DE NÓS TODOS, e, portanto, certos das suas certezas nem o lerão, e fazem muito bem o Inferno continuará.


Sobretudo aos jovens gostaria de me dirigir, porque  os já tarimbados em dadas rotinas não vão alterar nada,  no que existe está o ganho dos partidos da área parlamentar e, por isto, já mataram o 25 de Abril.

Para que o 25 de Abril renasça é preciso que uma nova geração de lideres não formatados pelos condicionamentos das juventudes partidárias, e ou os jovens críticos destas,  ajudados  por  todos os militantes das várias gerações não  cegos seguidistas, mudem o rumo às coisas para chegarem aos 5 milhões de abstencionistas.

 Fora deste quadro, por razões sociológicas, comportamentais ao nível dos exemplos,  ideológicas, religiosas e culturais não  há solução nas próximas décadas, será mais do mesmo com o PSD + CDS acima dos 40% de votantes; PS perto dos 30% com oscilações conjunturais, e o PCP e o BE com perto dos 20% de votantes.  Pela via democrática não outra solução, outras alternativas terão outro carácter, o  Revolucionário, como no 25 de Abril 74 que teve a grande virtude de ser uma REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA, no contexto de uma ditadura. Todavia o MFA, o motor revolucionário, não se institucionalizou, nem foi a força dirigente da Revolução e foi o que se viu – Abril morreu.

Interessa dizer aos jovens e aos que os podem e querem acompanhar que o mais importante para percorrer um dado caminho, no meio de uma floresta é ter bússola e saber onde estão as zonas pantanosas, os rios e os caminhos para chegar ao Sol.
 Quem vai, porque vai, arrisca-se a chegar a nenhures. Quem vai embalado por uma canção pode cair num pântano. Uma estratégia consequente ao nível da alternativa de poder tem de levar    em linha de conta a realidade do terreno, e o que estão a fazer e pensam os adversários, por arrogância, complexo ideológico ou mera idiotia ignorar  o  que pensam e fazem os adversários, só nos pode reservar residência eterna neste inferno.


PREVISÃO DO CENÁRIO DA EVOLUÇÃO POLÍTICA NA ZONA DOS PENSADORES DA ÁREA DO PODER: o país está falido, não pode viver sem os empréstimos exteriores - os cerca de 80 mil milhões de euros que vão custar cerca de 35 mil milhões em juros, logo  a  dívida é impagável, mas com o pais falido, não há espaço politico  para alternativas  acentuadas, e ,  como para já não há alternativa e, muito embora  a situação económica e de desemprego vão piorar, o país vai ser (já está a ser ) devidamente preparado para aceitar o pior dos quadros, por força dos seguintes factores:

1- jogo habilidoso dos significados e significantes com os discursos do Governo ( Vitor Gaspar e Carlos Moedas), a dizer repetidamente que o que é preciso fazer estar a ser feito ,  e para dar um ar de credibilidade não se prometem horizontes para  nada, porque de facto não os há;

2- é esperado   o apoio dos cronistas da área governamental, da  comunicação  social bastante  dócil e de  estudos académicos ou outros que analisados por umas pontas e não por outras, como a caso do estudo de António Barreto sobre a crise, favoreçam o governo;

3 –O  Presidente da República fará de  Provedor do POVO nos alertas e criticas, mas parceiro estratégico do governo, na acção governativa, o mesmo se espera das grandes empresas, sector da banca etc.;

4 - Quanto à situação social espera-se que seja o PCP e a inter-sindical a liderarem a contestação de rua, que será  ordeira, a integração  desta contestação no  sistema  é o grande trunfo que tem permitido a  partilha do poder e alguma  força negocial ao PCP, e à inter-sindical, pelo se julga que a paz social será mantida com alguns custos económicos  -  greves;

5 – O Partido Socialista está neutralizado sem liderança, não conta, nem tem caminho;

6 – As forças Armadas num quadro de ligeira a moderada perturbação, como se prevê, limitam-se a cumprir as suas funções  tradicionais, e, em qualquer caso, é tido como certo esse comportamento por parte da grande unidade de Santa Margarida e das Forcas especiais, pelo que as Forças Armadas  também são  consideradas uma área não problemática, mas com problemas, todavia…

7-  Um  dos pilares da sustentabilidade do actual estado de coisas, para  o sector que o mantém é  a aliança ( quase fundamental, decisiva) subjectiva com a Igreja Católica, através da ideologia, e objectiva através dos actos de solidariedade, via acção social da Igreja, caritas e misericórdias etc. Refere-se i exemplo da Madeira;

8- Neste contexto de moderado  a grave descontentamento é muito difícil de se distinguir direita e esquerda, mas desde logo é considerado que qualquer  coisa que se possa parecer com uma acção bem sucedida da chamada esquerda para alterar o quadro o governativo é impensável, a nível civil, mas sobretudo com apoio militar;

9- indignados e facebook, por ora, são fenómenos colaterais inconsequentes, a monitorizar”.

andrade da silva





quarta-feira, 21 de março de 2012

ALERTA GALOS


Obviamente, claramente, sem nenhuma dúvida, o secretário de estado da Energia perdeu a Guerra de nós todos, contra a EDP/China.

Esta é uma, entre muitas outras razões, para que todo o povo estivesse em luta, numa acção colectiva dirigida por todos os democratas que não se confundem, nem vivem, de nenhum modo, do lodaçal em que caímos, pelo comportamento indecoroso de muitos e autista e ditatorial de bastantes.

Só com o povo unido em torno de sindicatos democráticos, dos trabalhadores e independentes e de lideres democráticos , ao serviço do POVO, da democracia, da liberdade, com comportamento honesto poderemos ATENUAR/ ENFRENTAR/DERROTAR, em 1º lugar em Portugal e depois na Europa, a tenebrosa violência destes andeiros, para nos reduzirem à escravatura.

A luta entre o povo ao serviço de hegenomias vai matar a DEMOCRACIA, vai levar-nos para uma ditadura.

Às mulheres e homens em luta genuinamente pelos Portugueses e por Portugal o meu grande abraço. 

Todos os portugueses livres, através da INFLUÊNCIA BENIGNA, AMIGÁVEL E PACIENTE têm de fazer um grande esforço para que a luta contra a escravização seja de todas as vitimas, e nesta luta os sociais- democratas do PS são absolutamente indispensáveis.

andrade da silva

PRIMAVERA!




                                                PRIMAVERA

Como te adoro PRIMA,  VERA, foi contigo Prima, a primeira, que nas brincadeiras inocentes, senti, sentindo, quão macia era a pele nua e pura da mulher nas margens do vulcão -  prima, verdadeira, vera.

 Oh primaveras que vão e voltam sempre, e que lá na Madeira te encontrava, sentado nos jardins.

 Madeira casa da primavera que passa bastante pelo jardim da casa da minha irmã.

 Primavera da Liberdade e do Amor: do Amor louco  à beira mar, do abismo, da vida, porque não voltais, sempre?

A vós que amais loucamente muitas PRIMAVERAS, aos mui comedidos basta o Outono, e a outros - o nada.

Mas… e eu, comigo?... coisas... tempos... talvez não seja daqui, talvez sempre tenha sido de nenhures, ou para aí parta... o insondável...

Andrade da silva


terça-feira, 20 de março de 2012

MORREU DE CANCRO, MAS....


É primavera mas...

O Zé morreu  e na sua certidão  de óbito  constará de cancro nos pulmões, no sistema linfático etc., mas...

O Zé foi operado há 5 meses no Hospital do Funchal  de um cancro adiantado na  bexiga.  Recuperou, ganhou esperança de regresso à vida, mas...

O Zé há uns tempos começou a sentir-se entravado. O diagnóstico foi de que seria da quimioterapia, mas...

O Zé, nestes dias,  baixa ao hospital com uma hemorragia, afinal o Zé não estava curado, o Zé tinha metástases, mas ...

Não deviam ter feito ao Zé uma pesquisa  geral a ver se havia ramificações do cancro, mas não fizeram, mas ...

O Zé podia ter morrido de véspera, bem, dizem que nunca se morre de véspera,   mas fizeram-lhe uma aspiração e partiram e o Zé ficou engasgado, não fosse a presença de alguém que sabe o que fazer, quando a enfermeira chegasse par ao socorre,  o Zé tinha morrido engasgado, mas...
O Zé teve azar, morreu no dia seguinte depois de se ter despedido dos filhos e dizer que no dia seguinte ia " bater a bota", mas...

O Zé finalmente descobriu que uns morrem e outros batem a bota, mas...

Há quem se safe neste jogo de azar e sorte que é o Serviço Nacional de Saúde, mas muitos fazem parte do grupo dos que têm azar, mas...

Amanhã vão continuar a gritar contra a taxas moderadoras, apesar de 6 milhões e 600 mil portugueses estarem isentos. Mas alguém conhece um só português que tenha morrido por causa das taxas moderadoras, e por causa da falta de tratamentos, de consultas e intervenções cirúrgicas atrasadas?

Deputados,cidadãos, militantes vão ao fundo das coisas, vão à essência das coisas, como, por exemplo ao porquê de tantas mortes de idosos, alguns com pouco mais de 65 anos. É preciso entender que oficialmente idoso são todos os que têm mais de 65 anos, não são só velhotes de 80 anos.

Mas o Zé morreu, porque a morte é certa, mas...

 ontem um senhor do Governo lá dizia  na SIC que não só temos de tratar a doença , mas atacar as suas causas, do que também falo há muito, como seja o hábito de imensas mulheres em Lisboa, já entradotas  em idade e gordinhas de às 10h e às 16, religiosamente tomarem um galão, um bolo com muito creme e uma torrada cheia de manteiga, claro que com este regime alimentar não há tratamento ao colesterol que resista, o que é verdade.

 Todavia o sr.do governo esqueceu que este consumo também é psicológico, porque aquelas mulheres já não sabem o que é o sexo há séculos, não gostam de passear, não têm um cãozinho, não gostam, ou nem sequer sabem ler, só sabem bilhardar e comer aquelas coisas, que são os seus únicos prazeres, mas...

O Zé não morreu de colesterol...

andrade da silva

PS: Mas nós,  os vivos,  saudamos a Primavera. A primavera das flores da minha Madeira. Mas, o eterno mas,  alguns choram não ter havido inverno, não ter caído lágrimas dos Céus.  Nem os céus choram as nossas dores. MY GOD!...



segunda-feira, 19 de março de 2012

Todos os racistas e xenófobos são CULPADOS.


Todos os racistas e xenófobos são CULPADOS. 
SARKOSY estimula o ódio aos EMIGRANTES. Sarkosy é CULPADO.
 Que o povo Francês o julgue de um modo inexorável e o retire da presidência Francesa e do eixo perigosíssimo franco-Alemão.
 Todos os fanáticos, sectários são cúmplices dos terroristas. 
ABOMINÁVEL.
As lágrimas de crocodilo de Sarkosy são de um cinismo intolerável. Quem vota Sarkosy é cúmplice neste e em outros crimes de ódio e intolerância. e todos os anões que governam a Europa e o Mundo, incapazes de resolverem o problema do Médio Oriente e outros. 
 O MUNDO PRECISA DE MUDAR PARA O FUTURO.
andrade da silva

Otis Rush: I`Cant Quit You Baby



Numa selecção de Hélder Oliveira Cecílo. Obrigado.



PS: BEM VINDA  Graça Santos, traga  mais cinco. Abraço.



BILHETE SEM IMPORTÂNCIA DE UM PORTUGUÊS A ANTÓNIO JOSÉ SEGURO

(Povo em luta)


Como português, defensor da Liberdade, da Democracia, da Justiça, do Desenvolvimento e da República, republicana - da República do povo e com o povo -  a si me dirijo, pese embora, a sem importância das minhas palavras, nos seguintes termos:

António José Seguro - olhe, veja a rua; oiça o povo que grita;

António José Seguro  - o Povo está em luta na rua e nas empresas;

António José Seguro  - 200 mil portugueses são vítimas de assédio moral nas empresas, e 800 mil estão desempregados; 

António José Seguro - 5 milhões de portugueses não acreditam nem nos partidos, nem nos políticos actuais, por tudo o que sabemos, e que, não são  somente ficções maldosas e de campanhas negras;

António José Seguro - o país, embora charmoso e carente, espera bem mais de si que beijinhos e simpatias, embora, o romantismo nos faça muito bem e muita falta, como tanta falta faz a emoção em tempos de barbárie;

António José Seguro -  a destruição do País não se compadece com a retórica e os evangelhos segundo você próprio. É enternecedor, mas mantém-nos no túnel e no charco;

António José Seguro - o Parlamento é percepcionado, como o local, onde, uns nossos eventuais representantes tratam dos seus negócios e dos seus partidos, para além de uma feira de vaidades e discursos angélicos ou maldosos, com algumas verdades e inconveniências pelo meio;

António José Seguro  - se o PS se mantiver prisioneiro dos seus fantasmas, e se deixar ir às cordas pelas criticas dos outros partidos,  a democracia pode perder, e alguma ditadura ganhar o terreno que escapa à Liberdade;

António José Seguro  - a sua omissão na apresentação do actual estado do país permite que contra a realidade e o futuro, o falso discurso da adaptação dos portugueses a um processo forçado de pauperização, permita ao governo fazer o que faz, e, ainda, muitos  portugueses não terem percebido que a política de austeridade pela austeridade está errada, e nos vai conduzir a uma catástrofe para nós todos: pais, filhos, netos, jovens e idosos , e mesmo para os  que vão nascer nas próximas décadas;

António José Seguro – a  tragédia letal do Serviço Nacional de Saúde não está nas taxas moderadoras,(1) como o desvairado alarido faz supor, mas sim, de um modo muito mais grave e MORTAL  na falta de tratamentos, medicamentos e  de consultas de especialidade nos Hospitais de Lisboa, nomeadamente no Santa Maria, em que uma consulta pedida em Dezembro de 2011, fica marcada para Setembro de 2012, ( não é ficção, entre outros sou um desses utentes) doentes nos corredores que morrem sem antes serem assistidos, como viu no Hospital de Faro.( Diga-se que sem se emocionar muito, e, sobretudo, vamos a ver o que faz a seguir);

António José Seguro – com a UGT dirigida por um sindicalista muito tranquilo e passivo, e o PS dirigido por alguém que paira  sobre a realidade, e estuda,  coisas importantes, mas que são percebidas como é que os pêssegos ou outras preciosidades semânticas e politicas devem ser apresentadas aos portugueses em 2015, provavelmente numa altura que pode já não ser secretário geral do PS, percebe-se que  algo de muito extraordinário pode estar a acontecer, mas que pouco, de mais valia traz para a solução da grave crise que atravessamos,  e para a solução da qual o PS e o seu líder têm e devem de intervir;

António José Seguro – a sua  actual agenda   e a do PS contribuem para o aprofundamento da miséria e da tragédia em Portugal que, contrariamente, aos discursos do governo e à cortina de fumos  dos seus apoiantes e comentadores, está a destruir Portugal, com o abatimento de milhares de  famílias portuguesas, quando  têm de restituir as suas casas às instituições financeiras,  as famílias perdem o seu espaço para se desenvolverem, crescerem e, ao, mesmo tempo outras não se constituem. Neste contexto  os jovens não conseguem empregos, ou os que arranjam com ordenados médios de 700€ para licenciados  não conseguem montar um lar, vindo, agora, a divina Dra. Ferreira leite dizer para as famílias os ajudarem. (Mas como se vivem na maior pare dos casos em T1 e T2 ?);

António José Seguro – por Portugal desça do seu pedestal intelectual e erudito. Desça à rua, às lutas pela justiça Social e novas políticas. Estas lutas devem ser conduzidas por um grupo de liderança, que englobe todos os representantes e lideres não liberais de Portugal.  Sem esta coesão e unidade vencerão as trágicas politicas liberais que garantem o máximo lucro aos muito ricos e seus gestores e a semi–escravização a dois terços dos portugueses.

António José Seguro a mudança da politica exige a sua presença e do PS nas ruas, nas empresas, nos hospitais, nas terras, na Comunicação social. Entrincheirar-se no Parlamento é cómodo e seguro, mas pode para muito pouco servir. Se puder considere a necessidade e a urgência da presença efectiva do PS,  onde as coisas estão a acontecer.


(1) Cerca de 2/3, mais de 6 milhões de portugueses estão isentos. Todavia  no outro terço seria preciso distinguir entre os doentes crónicos e idosos com muita necessidade de exames complementares, mas sem dúvida que deveria de haver um outro sistema de co-financiamento do SNS e da medicamentação para as doenças como a Alzheimer , cancro ,sida etc com o preço do medicamentos altíssimos, mas 5 € com mais ou menor dificuldade se arranjarão, mas sem consultas as pessoas MORREM,  MORREM mesmo, porque já não é possível desenrascar 100€ ou mais, para uma consulta da especialidade, e, isto, faz toda a diferença no mundo fora das catedrais da guerra, pelo guerra a todo o custo, conquanto, seja necessária uma destruição criativa total de todo este sistema podre e empobrecido para uma opção de futuro.


Saudações de Abril.

andrade da silva


PS: Um abraço a nosso amigo Mário,  traga mais cinco.