segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Música dos anos 60/70



Aqui a juventude, a minha, a tua, a nossa, a vossa, ao lado de quem? com quem foram partilhadas as canções do momento, hoje nostalgia...

http://sz.com.sapo.pt/Anos_Dourados.html




domingo, 27 de fevereiro de 2011

AS MISSÕES DA ONU SÃO DE PAZ E NÃO DE GUERRA.




Julgo que por falta de conhecimento da realidade, está estabelecida uma confusão muito grave entre as Missões de Paz da ONU e a invasão do Iraque, aquando da 2ª guerra do Golfo, em que o Iraque foi INVADIDO por uma coligação de Forças de vários países, chefiada pelos Estados Unidos, que declararam Guerra ao Iraque, a chamada guerra preventiva, baseada nos princípios do choque e do terror, isto é, a força atacante lança sobre o adversário, tanto e tamanho, potencial de fogo que o inimigo perderá a vontade de combater ao fim de poucos dias, por morte ou deserção dos militares. Quer este método de Guerra, quer a Invasão do Iraque, aquando da 2ª guerra do Golfo, foi ILEGAL, ILEGÍTIMA, CONDENÁVEL E INACEITÁVEL, que como todos os outros crimes deveriam ser julgados no TPI.


As Missões da ONU NÃO SÃO DE GUERRA, SÃO MISSÕES DE INTERPOSIÇÃO OU IMPOSIÇÃO DE PAZ, concretamente, no caso da LÍBIA, estas Forças da ONU teriam por missão separarem os contendores ou imporem a PAZ, desarmando as forças mercenárias e a Brigada assassina de Kadhafi, prender os criminosos dos crimes contra a humanidade, submetê-los ao TPI, e promoverem as condições para a governação do país, exactamente como aconteceu, em Timor.


Como o povo Libio estaria grato se a ONU fizesse o que devia que nada tem a ver com a guerra do Iraque, exactamente porque não seria uma acção de GUERRA, mas de PAZ.!


andrade da silva

A RELEMBRAR A NOSSA REVOLUÇÃO

A Hora da Liberdade


http://www.youtube.com/watch?v=lb3DVo5q0nM&feature=related


http://www.youtube.com/watch?v=GAWi2D_ZSL8&feature=related


e as seguintes estão por ordem de data e hora no youtube também


VIVA O 25 DE ABRIL DE 1974

sábado, 26 de fevereiro de 2011

1982 - Recordando


Há tempos lindos nas nossas vidas, 1982 foi um ano bom. Depois de dois anos de prisão por não me ter deixado matar pelo gang "os diabos à solta" no Funchal; depois de 6 anos de julgamento no conselho superior de disciplina do Exército, por causa do 25 de Novembro 1975 que só conheci pela imprensa, e na ponta final intervim, recusando-me a chefiar um grupo de cidadãos que queriam marchar sobre Lisboa, a partir do Alentejo, sacrificando-se para salvarem o que tinham como a sua revolução; mas também por ter detido à ordem do Copcon em 13 de Março 1975 o Latifundiário Sr.Vacas Nunes, acusado de ser responsável pela morte de um trabalhador nos anos de 50 e que centenas de populares de Montemor-o-Novo, naquela noite, queriam ajustar essas velhas contas, e, eu defendi-o; também por me acusarem de ter feito ocupações selvagens, como a título de exemplo era referido o Hotel Planície de Évora; ter chamado de fascista a latifundiários; ter incitado, segundo o rol de acusações, os trabalhadores, em Coruche, a se apropriarem dos bens dos latifundiários, quando não lhes pagassem os vencimentos, como o atestava o feitor do latifundiário Sr.Veiga Teixeira que antes oferecera uma caixa de pêssegos à minha secção do MFA, pelo modo como o atendi num diferendo com outro latifundiário o Sr. Infante da Câmara etc etc, regressei à vida militar, prestando serviço na Direcção da Arma de Artilharia.


Era o meu regresso às origens e, entretanto, também no curso de sociologia no ISCTE ( Instituto Superior Trabalho e Empresa), porque nunca fiz de morto, travei uma forte discussão com o professor da cadeira de Sociologia do desenvolvimento, acerca dos processos de socialização que esquecem o verdadeiro homem, e procuram cuidar do seu duplo, que é o que sai do armário e anda pelas nossas ruas.

Foi uma luta tremenda de que me orgulho, e para esta aventura arrastei a minha colega Lídia. Lá com a intervenção do catedrático nos desenrascamos, mas escrevi uma violenta carta ao professor, denunciando a terrível tacanhez do ensino universitário em Portugal. Tenho o trabalho e a respectiva carta, perdi na memória o nome do professor. Contudo num destes últimos anos com o filme "os duplos", vi esta problemática retomada, nos precisos termos em que a tinha abordado em 1982.


Também foi uma bom ano por causa das viagens e dos sonhos. Em dada altura sonho que vou fazer uma viagem por barco com a minha colega Lídia, no sonho a viagem corre muito mal. Não fiz a viagem com ela, mas o sonho foi premonitório. Em Junho depois de já ter as minhas férias marcadas para Madeira, sou desafiado por uma amiga, para ir com ela e outra sua conhecida até Itália. Logo começo a tratar de conseguir mais uns dias de férias, tive sucesso nesta diligência, e parto para Espanha, França, Suíça, Itália.


Em Espanha passo por Burgos, onde, visito um amigo. França desde Biarritz, Limoges, Liége, Clermont Ferrand, onde, comemos um gelado que nos custou os olhos da cara, tudo foi maravilhoso, o mesmo na Suíça, aqui, descobrimos as mini doses de 100g das coisas caras, o que depois quis adoptar em Portugal, pedindo a um empregado, numa pastelaria, a Minabela da Reboleira, 100g de ameixas verdes de Elvas, ao que o homem não resistiu em informar-me que seriam uma ou duas, retorqui-lhe, para seu espanto, que era isso mesmo que queria, porque ia só para provar. Adorei Génova e os lagos suíços.


Entramos finalmente em Itália, logo em Milão assistimos a uma cena do agarra que é ladrão, lá fugia um tipo qualquer com objectos roubados. Em Itália recebi milhares de liras que logo se evaporavam, dormimos, por falta de lugares nos parques de campismo, por onde calhou, com algum risco e receio, porque era o tempo das brigadas vermelhas e de polícias que primeiro disparavam, e depois pediam a identificação.


Itália com os seus museus, a sua beleza, a sua arte e música nas ruas e as poucas pisa que comemos em restaurantes e as belas cidade de Verona, Ravena, Veneza com os seus canais, Florença, Pisa foi, é, um Olimpo, onde, tudo, então, se pagava até a utilização das casas de banho nos restaurantes.


Por tudo isto aquele sonho foi premonitório, mas também pelas pesadas discussões que tive com a colega da minha amiga Dete, que então, como hoje, continua a viver em Santo Tirso, linda Terra.


Mas aquela nossa companheira conduzia tão mal que nas curvas dos Alpes o automóvel ficava atravessado, e ela dizia que era por causa da estrada, e eu, que seguia no lugar o morto, lá lhe referia que o carro tinha um volante, uma caixa de velocidades e um pedal para o conduzir; outras vezes só íamos com erro de 180º na direcção, e tudo agravado ainda pelo facto dela só querer contemplar as obras de arte e nós também as cidades e as gentes. Tudo somado foi uma confusão entre mim e ela, a que impotente assistia a minha querida amiga, chorando. Nunca mais falei com aquela colega da minha amiga, nem sequer fiz sobre si qualquer pergunta, agora, que falo disto, um dia destes pergunto, sobre como tem passado.


Ainda fui à Madeira. 1982 foi um lindo ano. Também acontecem lindos anos que ora se repetem ou não. Mantenho viva a memória deste 1982 que mais moderadamente lá se vai repetindo, agora em excursões colectivas de seniores.


andrade da silva

PAZ TRIPOLI PAZ PARA TI E TODA A LÍBIA


Tripoli Ó branca Tripoli
Alá seja contigo
Ó branca Tripoli
no brando sono
aladas crianças não estão mais.
Tripoli Ó branca Tripoli
a pomba abra a asa sobre ti.

Marília Gonçalves 

A luz a sombra o poema
a voz o som o dilema
árvore, ar ou a água
vão aumentando esta mágoa.

O mar a terra e o fruto
lágrima riso de puto
que é no campo estrela flor

vê amanhecer o dia
numa voz que balbucia
indiferença, desamor


Marília Gonçalves

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

PRIORIDADE CÓSMICA ABSOLUTA


É um crime contra a Paz, o Mundo e a Humanidade, por egoísmo, sectarismo, ou por influência de qualquer Satã, não querer entender que a humanidade é una, que o povo é Universal, não há um povo Líbio, Marroquino, Angolano, ou Português, só há um povo que é o Homem, ou a Humanidade, que habita porções de terra diferentes: África, Ásia, América, Europa e, que, conforme as terras que habita e os governos que tem, também vive de modos diferentes sortes ou desgraças maiores. Todavia o meu povo, é todo o Povo, que sofre e é explorado, e, por isto, sei que é preciso LIBERTAR TODO O POVO, com um prioridade CÓSMICA ABSOLUTA, SIMULTÂNEA E INDECLINÁVEL.


Não posso pensar no desempregado português, sem pensar no escravo, sem dignidade, em Marrocos (quando lá passei, vai para dois anos, escrevi neste blogue que Marrocos era um campo de extermínio a céu aberto, com vencimentos médios de 200€/mês), no povo Líbio, sujeito à ditadura de um Nero dos tempos modernos, um narcisista criminoso e genocida, Kadhafi, ou no grande Líder esquizofrénico da Coreia do Norte, ou nos ditadores corruptos da China e de Angola. Nenhuma pessoa com moralidade e dignidade humanas pode esquecer estes seres e regimes de completa aberração.


Todo o ser humano digno só se pode juntar nos seus países e no Mundo, através de uma comunidade de cidadãos livres que nunca tenham receio de dizer na sociedade e nas organizações em que militam o que pensam, por mais discordante que seja do pensamento dominante, sem correrem o risco de serem cilindrados ou banidos, porque isto, é o que fazem as ditaduras, que atentam contra a dignidade humana. Na democracia, ao invés da perseguição, o que importa é que todas as ideias sejam discutidas e ouvidas, e que, depois, de justas e inteligentes negociações, se chegue a consensos geradores de acções mais construtivas, baseadas na cooperação, na lealdade e no amor.


É um PRIORIDADE CÓSMICA ABSOLUTA fundar uma nova ORDEM MUNDIAL que varra para todo o sempre as ditaduras do Mundo, e funde uma sociedade baseada na defesa e no respeito da DIGNIDADE humana ao longo de todos os ciclos de vida, da DEMOCRACIA, baseada na liberdade económica política, social, religiosa e do pensamento e também do estado de direito, e, ainda no DESENVOLVIMENTO SUSTENTADO, justo e equitativo nas dimensões económica, social e ambiental, de modo a combater os crimes contra a natureza e o fascismo financeiro que cria um fosso imoral entre os mais ricos e os mais pobres.


É imperativo uma nova ONU com força militar, politica, económica e moral para perseguir, prender e julgar todos os grandes criminosos da história que roubam e massacram o seu povo, e, entre nós temos de desconfiar dos que defendem esta gente esquizofrénica que a pretexto nenhum, é melhor, para os seus povos que os corruptos domésticos ou regionais que combatemos, e, pelo contrário, ainda são muito piores.


A Democracia pode combater os corruptos e destituir os maus governos, para o que bem basta que as leis, o estado de direito funcionem, e haja líderes políticos à altura dos desafios, e os cidadãos votem, de um modo esclarecido, em quem melhor pode ajudar o seu povo e a Humanidade a progredirem, e a construírem um futuro DEMOCRÁTICO, DIGNO E DESENVOLVIMENTISTA. Só com gente livre se podem construir Pátrias de liberdade.


Que os povos do Mundo e o português, nós, consigamos dar o nosso contributo, sempre decisivo, para construir a sociedade da PAZ, da Solidariedade, da Liberdade e da Dignidade.


andrade da silva


No facebook em joão andrade da silva.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A SOLUÇÃO ESTÁ NAS MÃOS DAS MULHERES E HOMENS LIVRES, SEMPRE!



É doloroso ouvir um Rui Rio declarar a certidão de óbito do sistema politico nascido com o 25 de Abril 74, o que, infelizmente pode corresponder a uma trágica verdade, pelo povo se ter demitido das suas funções, pelo PS, PSD e CDS terem criado um sistema corrupto que matou todas as esperanças e, fora deste pelouro da democracia, não se gerou nenhuma alternativa, nem sequer ao nível da cidadania.


Por todo o lado o cinismo, o protesto inconsequente, os discursos fechados e o jogo para manter posições e redutos de poder. Por este caminho, ficaremos eternamente a gritar por aqui e ali, mas a podridão vai continuar, porque se quer tratar a doença, com mais doença e, isso, não pode dar.


É preciso libertar a cidade e o povo para construir a liberdade. É preciso um grande movimento de pessoas livres, para limparem a cidade de mentirosos, mentalistas, ditadores, desde Khadafi ao da Coreia do Norte, sem deixar de fazer escala por África e sem fechar os olhos ao que se passa em Portugal e na Europa.


Em Portugal, sem a construção de um grande movimento de pessoas livres que saibam ser iguais a si mesmas, que saibam que a sua opinião será ouvida e respeitada, assistiremos à podridão em que vivemos e nos conduzirá para as trevas e a idade média.


Há os que descansam no seu conforto, porque isto ou aquilo, não permitirá isto ou aquilo, ou seja, o renascer de um Salazar ou de um Mussolini, claro que não, mas cada vez mais usarão as técnicas de indução de um pensamento acrítico, maior desigualdade social e um jogar com tudo e todos para sobreviverem no pântano, esta é a forma de ditadura já em construção que não será feita por um ditador, mas por vários dirigentes de partidos que enformados pelo mesmo espírito se vão sucedendo, sem alternativa.


Ao que também chegamos, para só agora o Sr. Monjardino e outros verem que na Líbia reina um louco, um narcisista, mas que a alternativa a ele, ainda pode ser pior que ele, ou que aqui em Portugal o bom andamento da execução orçamental só se baseia nas receitas fiscais vindas do imoral e inconstitucional corte dos vencimentos, do aumento dos impostos, e que a despesa diminuiu por causa dos cortes nos apoios sociais , no resto a despesa aumenta e não é no investimento produtivo, e, sem nenhuma sensibilidade o 1º Ministro canta a canção da satisfação, própria de quem se compraz com a mal que reproduz, e ninguém, alínea a alínea, desmonta, o canto deste governo que é de luto, crueldade e insensibilidade.


Chegamos ao ponto de que, quando me desloco a Vendas Novas, para além de contactar com o embuste histórico acerca d0 25 de Abril 74, assisto a uma dissertação inflamada e convicta que Sidónio Pais foi genial ao antecipar em 20 anos o fascismo, a ditadura, como regime necessário à Europa da altura. Como o fascismo italiano e o nazismo o vieram a demonstrar e, entre nós, Salazar, que merece a única critica deste brilhante cidadão, por não ter saído após a II guerra, ou não ter promovido o desenvolvimento que o seu parceiro Franco fez. 37 anos depois do 25 de Abril é este o espírito que existe na Unidade Militar em que vi nascer o 25 de Abril. Como diz Rui Rio aproximamo-nos depressa do fim do 25 de Abril74


Mas tudo isto está certo numa sociedade cangada, desviante é continuar aqui a gritar, gritar... mas os ouvidos estão surdos, as almas cheias das verdades dos seus donos, mas, apesar de tudo, é preciso, é urgente sair da ilusão e da escravidão, de todas as escravidões.


andrade da silva

O Livro para a Semana

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Elvys Presley - A última apresentação + tradução.




video

Elvys Presley - A última apresentação + tradução.

(enviado por amigo)

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A Pensar Colectivo "sobre o roubo da Alegria"


Caro Companheiro de Abril, meu Capitão
Dirijo-me a si, em continuidade da resposta  ao post Ser Humano, mas se é a si que me dirijo, não é a si que me refiro, porque você meu caro, é um homem bom e sensível com quem sempre se poderá falar (mesmo se por vezes arma em torto).
Vamos ao assunto:
Não defendo uma posição, que se defende muito bem por si própria, caro amigo, clarifico a minha postura perante o seu termo de feminismo, já que há vários tipos de feminismo, no meu, opto por condenar o machismo de hoje, numa época em que homem e mulher deveriam ser companheiros em luta por um mundo melhor e fraterno, porque enquanto o pesadelo, for o pão de cada dia de uns, quer sejam mulheres ou não, ninguém pense o mundo de beleza e Paz, possível, o chefe índio Seattle, frisou-o  bem  na carta que escreveu ao presidente dos USA, tudo está ligado! e hoje como ontem: tudo! Homens e Natureza! e, diga-me parece-lhe possível o riso enquanto outros de desespero (evitável) choram, morrem, sofrem, são mortos e assassinados, têm fome, e , horror, morrem sem água, morrem-nos e matam-nos a nós mesmos em cada irmão ultrajado, humilhado, assassinado, preso, torturado, esquecido! o que nada de humano justifica, mas, a reforçar o horror, quantas vezes a violência sobre a Mulher é cometida perto de nós, à nossa frente, violência que confortavelmente nos negamos a ver? mulheres violentadas, violadas, mulher-presa, desde a infância, vítima da evidente diferença muscular, que confere ao homem maior força física ( e quem a nega? acho que essa ninguém)! por isso me bato ao lado dos que choram e das que choram, ou dos que o denunciam, convicta e com afinco, é que veja bem, não me contento em bater-me por conquistar um Mundo de Direitos e Deveres (claro os deveres fazem parte do civismo) , mas vejo para além dessa cortina de sofrimento, uma alegria de viver a conquistar e creia porque nela não há excluídos, merece-me todos os esforços, é pois pelo colorido dessa vida em que creio que me bato, porque por isso nos trouxeram ao Mundo, onde fraternos e justos para com todos e entre todos, possamos evoluir, confiantes, entusiastas, responsáveis e amigos.
Mas hoje enquanto sofrem outros povos, enquanto sofre quem trabalha, enquanto sofrem crianças, jovens, idosos (nos quais começo a incluir-me), enquanto sofrem Mulheres, porque homens, continuam a agir e a falar, servindo-se da força física como argumento, ou menos falado, mas tão nefasto como a primeira, da força económica (que pesa tanto negativamente dentro duma casa de família, como num país, ou no mundo).
Toda a forma de dominação, seja qual for o pretexto e sobre seja qual for o ser humano, ou sobre a colectividade é injusta e porque contrária à humanidade deve ser combatida, e penso-o sinceramente, é nefasta mesmo ao dominador, porque o distancia de si mesmo, afastando-o do profundo humano que deveria ser o seu. Por isso, todos aqueles que duma forma ou de outra têm nas mãos, instrumentos de comunicação, deveriam pesar as consequências de cada palavra, antes de as proferir ou escrever, nada do que se diz é sem consequências,e se alguma inteligência nos habita,
( meu caro Companheiro, este pedacinho não é para si,a sua sensibilidade sem limite, responde antes de mais, pela sua actuação), devíamos ter em linha de conta que temos obrigação de utilidade na Terra e que essa obrigação é para connosco, de deixar um dia ao partir, a marca indelével, mesmo se invisível, da nossa passagem pela vida, até porque essa é a única maneira de não morrermos completamente, deixar a vida (não o podemos evitar) mas tendo a nosso nível contribuído, para um sopro mais no avanço da VIDA  e da HUMANIDADE e então no momento da partida, levar connosco uma infinita saudade, da beleza, da luz, do amor de todo o tipo, do respeito, mas partir serenamente, na certeza de pelo menos, nunca ter sido nocivo nem à vida, nem à conquista do direito à alegria de viver de todos e de cada um! Mas para que tal seja, hoje diante da aflição em que se vive, a palavra é combate e Luta, ou a nossa lucidez estaria seriamente comprometida
Quem me dera, que o Mundo fosse o que ainda não é: também na minha poesia essa realidade estaria reflectida e poderia escrever alegria e beleza sem cansaço! assim, sendo as coisas o que são, e como essa preocupação existe concreta no meu mundo interior, claro, condiciona quanto sou e faço e por conseguinte o que escrevo, mesmo se por momentos fujo para recuperar forças para o que a natureza ou o ser humano fizeram de belo e de grande! é mesmo uma necessidade, se nunca recuperamos dos dissabores, falta o indispensável para que qualquer Luta possa ser eficaz, a força e a convicção.
Semear desespero sem saída, não me parece a forma mais eficaz de incentivar os ânimos para a Luta pela Dignidade e por um um Mundo melhor, mas para semear Esperança é preciso acreditar nela e para acreditar é preciso estar forte, por isso defendo quem sofre, porque o fim de cada sofrimento é uma porta que se abre para a alegria e para a Esperança, logo para uma continuidade de conquistas e de aperfeiçoamento, tanto próprio como colectivo, simplesmente porque somos seres humanos e que nascemos com essa "coisa extraordinária" que se chama Consciência!
o meu abraço

Marília Gonçalves

Apesar de você - Chico Buarque

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

e por cá? vamos indo... e alguns*, obrigados e sem culpa!!!!

TUDO ISTO PARA ISTO?

Não sei se a emergência de mulheres desta natureza
Resulta ou não das comportas que Lula abriu. Em Portugal,
Com as comportas abertas, precisamos de duas ou três
Mulheres assim...
(enviado por amigo)

* ALGUNS?... AQUI SÃO MILHÕES!!!

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

SER HUMANO

"O Homem é um ser social. O Ser, capaz de viver isoladamente ou é um Deus ou é uma besta, mas não um ser humano."
                                         Aristóteles



Revelações da poetisa Marília Gonçalves. Declarações recolhidas por D. Lacerda. Latitudes




TUDO ISTO É DISPARATE. TUDO ISTO É POLITIQUICE



Hoje à tarde abordei com alguns amigos a questão da vida e da morte, para concluir que certo , certo, só temos uma pequena janela de tempo para viver, e que seria bom aproveitar essa aberta para usufruir dos prazeres da vida, ser útil à sociedade e ao ambiente, e vivermos em harmonia com os nossos concidadãos e as outras espécies. Seria proveitoso e inteligente.


Também nesta abordagem falamos da morte, defendi que esta é um disparate. É um erro no muito inteligente sistema da criação, por isso, é que dizemos, quando um jovem morre num desastre que morte tão estúpida! O mesmo dizemos no caso de doses excessivas de droga, e, assim , por absurdo, fica demonstrado que a morte é um acidente estúpido. Qualquer avaliador recusaria dar 20 valores ao criador, por causa deste pequeno-grande disparate.


Falamos ainda do grande disparate que é a organização social actual, baseada no egoísmo, no ódio, na ganancia e não na harmonia e na generosidade, no altruísmo relativo que faria de cada um, uma pessoa mais feliz e, consequentemente, teríamos melhor polis, coisa muito inteligente. Todavia vivemos sob a desinteligência, logo...


Mas como os disparates são infinitos em quantidade e qualidade, hoje ,o jornal I, o melhor do Mundo em 2010 (parabéns) traz uma meia dúzia deles que passo a referir:


José Lello do PS, que dizia cobras e lagartos de Manuel Alegre, vem hoje declarar, pomposamente, que Alfredo Barroso, sobrinho do sr. Dr. Mário Soares, usa um estilo trauliteiro, porque é irrelevante? Será, mas então...


Capoula Santos, mandatário da candidatura do Sr. eng. Sócrates a secretário- geral, diz que depois da deriva do PS à esquerda, com Manuel Alegre, é preciso recentrar o PS, isto é, atacar mais ainda os preceitos constitucionais em termos do Estado Social, tão na boca do PS, mas tão retalhado com mais cortes disto e daquilo, e nem sequer sou um defensor da falta de regulação das prestações sociais, defendo-a, somente considero que a grande coragem de um governante seria tornar equitativo os esforços para salvar o país, o que, de modo algum, acontece. Em Portugal sob a directiva da Alemanha e da UE, o governo aplica as receitas que eles nos impõem , além de terem governado mal Portugal desde há 30 anos. Todavia restará saber se o PS quer ultrapassar pela direita o CDS?


Ainda diz Almeida Santos que o militante do PS Henrique Neto mente, quando diz que não há discussão interna no PS, o que, seria uma mentira escabrosa, porque o 1º Ministro e Secretário-Geral do PS está quinzenalmente no parlamento a discutir política. Ora o que provavelmente Neto quereria dizer é que faria algum sentido se discutirem as politicas do governo do PS, antes das mesmas serem aplicadas pelo governo, ou discutidas na Assembleia da República, mas creio que querer isto, deve ser disparate. Pudera!


Finalmente, um cronista de seu nome José Pina, ao que parece liberal do 7 costados, vem, agora,reconhecer que depois das privatizações da energia e telecomunicações tudo ficou pior, muito mais caro, e diz que pela cartelização os privados reconstruíram o estado Sovietico, entenda-se o da URSS. Mas então, como é afinal, a privatização piora as coisas, isto é, a propriedade pública de dados bens e serviços é mais amiga para a população que a sua propriedade privada ? Pois claro que é, mas é interessante que os liberais o reconheçam, quando lhes entram no bolso.


Mas para eliminar parte destes disparates, porque não se generaliza às comunicações e à energia um preço social como a Suíça usa, para as contravenções, ou seja, a mesma infracção tem uma penalização diferente, conforme a riqueza individual. Como seria justo que o IVA e todos os impostos sobre o consumo tivessem taxas diferenciadas, e o ouro, os diamantes e outras extravagâncias, juros expressivamente mais elevados!... Claro disparate...


Assim é que seria um regime de justiça e equidade a funcionar. Agora pôr a sangrar o povo, para dar aos ricos, é uma barbaridade, e, já agora, perante a indiferença de todos, mas particularmente do Governo, seria bom começarem a levar em linha de conta que o aumento dos cereais, do algodão, do açúcar e do cobre, que em seis meses já fez no Mundo mais de 40 milhões de pobres, ou seja 4 Portugais, vai produzir, segundo se prevê nos EUA, um agravamento nos preços dos bens essenciais e no vestuário na ordem dos 20%, que só deverá chegar aos países desenvolvidos nos finais do verão.


andade da silva

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

A LUTA CONTINUA

Conselho Português para a Paz e Cooperação
DEBATE
EM LUTA PELA MUDANÇA!

As revoltas populares no Magrebe e Médio Oriente
Casa do Alentejo
Sexta-feira, 18 de Fevereiro
18.00h
Com
Rui Namorado Rosa - Presidente do CPPC
Carlos Carvalho - Dirigente da CGTP/IN
Adel Sidarus - Professor Universitário, Dirigente do MPPM
Frei Bento Domingues - Dirigente do MPPM
José Manuel Rosendo - Jornalista



O Magrebe e o Médio Oriente vivem tempos de grande convulsão social e política. Sopram ventos de mudança no Mundo Árabe.

No Egipto, Tunísia, Jordânia, Iémen, Argélia, Marrocos - entre outros -os povos, nomeadamente os jovens desempregados e os trabalhadores, tomam as ruas e as praças exigindo emprego, direitos sociais, melhores condições de vida, liberdade, democracia e paz.

A violenta repressão sobre os movimentos populares e cívicos não consegue calar os protestos e desmobilizar as massas populares. Nas ruas ecoam e fortalecem-se as palavras de ordem exigindo a demissão dos responsáveis políticos e o início de processos democráticos
respeitadores da vontade popular.

Os gritos de revolta do Mundo Árabe abrem os noticiários internacionais e o Mundo está de olhos postos nas lutas populares. As principais
potências ocidentais - com destaque para os EUA e a União Europeia - movem-se entre o inevitável reconhecimento das demandas populares e a protecção dos ditadores, fieis guardiões dos seus interesses na região.

Indissociáveis da crise internacional, dos profundos retrocessos e ataques sociais que a caracterizam e da instabilidade da situação
internacional, os acontecimentos nesta região do globo têm já um impacto e importância que vai muito para além das fronteiras nacionais e regionais.

Para analisar os impactos desta onda de luta e de esperança que percorre o Mundo Árabe, a CGTP, o CPPC e o MPPM, juntam-se na organização de um debate público de solidariedade com os povos em luta no Mundo Árabe e de análise dos acontecimentos em curso.

O peso das questões sociais e laborais nos movimentos populares em curso; o passado de luta dos povos árabes e o papel do movimento
operário e sindical nas revoltas populares; as diferentes componentes políticas em presença no terreno e o real alcance das mudanças; a
geo-estratégia regional e a independência e soberania face às principais potências ocidentais; os impactos internacionais das mudanças em curso; os possíveis impactos na luta do povo palestiniano pelos seus direitos nacionais, são alguns dos temas que se pretende abordar num debate que visa o esclarecimento e a acção do povo português em nome da justiça, da liberdade, da democracia, da paz e da solidariedade.


PARTICIPA E DIVULGA!


CONTAMOS COM A TUA PARTICIPAÇÃO!

FASE





O Sol e a Lua passam.


Perdido estou,


entre os escolhos


do Universo.


Nunca descoberto:


nem pela vida,


nem pela morte.


Matado.


Renascerei?!....




Renasceremos, eu,vós, nós?!....




Coisas...


Fases...




andrade da silva

Protestar ou ser vencido!!!!






Que se ponham os governantes e dirigentes de topo em sentido! Motivos de sobra não faltam. Podem compreender-se os reflexos negativos da crise económica global mas... e as reformas milionárias...?, os vencimentos obscenos dos gestores públicos e privados...?, a corrupção instalada pelos dirigentes da coisa pública...?, o espírito empresarial reinante, em que só contam os lucros e se despreza a mão-de-obra...?, o dinheiro que continua a fugir para os off-shores com a ajuda dos grandes escritórios de advogados...?, os banqueiros que assaltaram os bancos, e que continuam à solta sem ver os seus bens expropriados...?, etc. etc..
Há que dar corpo à indignação. Manifestar (quanto mais não seja pelas avenidas da Net), o descontentamento para com esta elite, política e social, egoísta.
Que não nos tomem por parvos!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

12ª composição musical " no nascer do sol" No nascer do sol espero ver nascer em ti um pouco de mim... ver nascer esperança paixão alegria... nasça o teu/nosso dia... Sente na tua pele nos teus lábios nos teus sentidos todos os dias... a minha/ tua melodia." Ester Pita



12ª composição musical " no nascer do sol"

No nascer
do sol
espero
ver
nascer
em ti
um
pouco
de mim...
ver
nascer
esperança
paixão
alegria...
nasça
o teu/nosso
dia...
Sente
na tua pele
nos teus lábios
nos teus
sentidos
todos
os dias...
a minha/ tua
melodia."

Ester Pita

PELO AMOR, O SOL, VÉNUS, A LUA NAMOREMOS SEMPRE


VIVA A VIDA

O AMOR

A LUMINOSIDADE

O COSMOS

QUEM NOS AMA E NÓS AMAMOS

VIVA A SENSUALIDADE E O SEXO

NESTE NOVO E CONTINUADO DIA DE NAMORADOS

AMEMOS ENAMORADAMENTE O SER HUMANO

A LIBERDADE

AS FLORESTAS; OS RIOS E OS OCEANOS

GOSTEMOS TAMBÉM DE NÓS MESMOS

ADOREMOS O BELO

MAS SEJAMOS GENEROSOS PARA COM TODOS

SOBRETUDO OS SÓS EM QUE OS TRAÇOS

DA OUTRORA DIÁFANA GRAÇA SE EXTINGUEM.

AMIGAS E AMIGOS REBOLEMOS DE FELICIDADE

POR ESTARMOS ENAMORADOS PELA VIDA, A AMIZADE

E O AMOR DE AMAR E SERMOS AMADOS.


SEJAM BELAS E BELOS E FELIZES, MUITO!


andrade da silva
no facebook : joão andrade da silva

Público - Uma "manif" de rua para mostrar que "o país é que está a ser parvo"

Público - Uma "manif" de rua para mostrar que "o país é que está a ser parvo"

domingo, 13 de fevereiro de 2011

PAGAR QUALQUER PREÇO PARA DEFESA DA LIBERDADE.




A minha Alma está exaltante com a queda do ditador no Egipto, como com a queda de todos os ditadores em toda a parte. Mas o meu espírito está apreensivo porque há tanta ditadura pelo Nundo de Angola á China que ninguém quer ver, para além de que entre nós há as pequenas ditaduras organizacionais. Os que em Portugal tomam o poder nas organizações, logo criam um cordão sanitário de testas-de-ferro e boys, para perpetuarem o seu poder, e fazerem dos demais formigas, e quem não se sujeitar a ser formiga ou barata tonta é logo relegado para o inferno, e, é, por esta via, que vamos ir todos para a um inferno. Por agora só conhecemos o purgatório, mas se voltarmos ao inferno de novo, será a um inferno fascista reconvertido com muita propaganda, tecnologia, um poder altamente persuasivo da comunicação social e o garrote financeiro.


A mina alma exulta por se ter feito em Portugal o 2 5 de ABRIL 74, levado a cabo pelos militares e o povo que estiveram na rua. Este foi o 25 de Abril 74 concreto e puro, muito diferente do planeado pelo Movimento das Forças Armadas até à saída das forças dos quartéis e da intervenção do povo, até este momento era sobretudo UM GOLPE DE ESTADO PARA CRIAR AS CONDIÇÕES PARA UM DEMOCRACIA CONSTITUCIONAL, sem nenhum propósito da igualdade real ou de rumo ao socialismo.


A Igualdade Real e o Socialismo são conquistas revolucionárias do povo e dos militares revolucionários que ficaram e ainda estão consagradas na Constituição, mas que não são respeitadas, desde logo, por quem jura cumprir e fazer cumprir a constituição, e não se identifica com Ela, nestes seus pilares. Deste ponto de vista, o 25 de Novembro 75 foi voltar ao MFA de antes do dia da Revolução, mas também antes nem todos pensavam do mesmo modo, embora ninguém imaginasse sequer a intervenção revolucionária do povo.


O meu espírito está apreensivo porque vejo diplomatas portugueses e estrangeiros a dizerem que a história está a acontecer no Egipto, quando antes não viram a ditadura. Mas não serão cínicos ou oportunistas?


Mas ainda fico apreensivo por esta gente se lembrar e falar do 25 de Abril 74, quando a maior parte deles não deram nenhum contributo para a queda do fascismo, e, hoje, são os verdadeiros beneficiários do 25 de Abril. Enriqueceram, ganharam estatuto internacional, enquanto, a grande maioria do povo que fez o 25 de Abril, e os militares mais corajosos, e actualmente, quase, de um modo geral, todos, mesmo os do 25 de Novembro que encontram uma primeira tábua de salvação no PS, e apesar do seu ódio intrínseco a qualquer frémito revolucionário, no PCP, foram e são vilipendiados.


(Interessaria recordar que muita gente não esquece o que foram os anos a seguir ao 25 Novembro, nomeadamente no Alentejo que foi literalmente ocupado pelas forças da Guarda Nacional apeada e a cavalo, com cães e carros anti-motim. Para os de memória mais turva recordo as mortes de Caravela e Casquinha e as muitas costas negras por causa das bastonadas. Mas estará tudo esquecido, se sim por quem, pelas vitimas e seus parentes? Não creio, mas se for, deve ser pelas muitas das vitimas que já não têm memória, morreram).


A minha alma exulta pelas forças Armadas Egípcias terem tomado o lugar certo da história, mas perante as traições da Revolução de 5 de Outubro de 1910, por uma grande parte da burguesia republicana que logo se esqueceu do povo, não controlando sequer a subida dos preços dos bens alimentares, nem das condições de vida e habitação dos trabalhadores e da do 25 de Abril que nos traz no actual estado, fico apreensivo quanto ao futuro do Egipto.


Também fico apreensivo por muito poucos ouvirem estes gritos e muito menos ainda dizerem o quer que seja, talvez pensando que há radicalismo a mais, mas quando daqui a 10, 15 anos verificarem que está tudo na mesma, ou muito pior, perceberão que o radicalismo foi sim, a inércia do medo, do seguidismo e da falta de liberdade, mas se, entretanto, acontecer o mais grave, como um sobressalto totalitário, o que, espero que as Forças Armadas nunca o consintam, então, esses ou outros adjectivos para nada servirão, porque quase todos terão sujeitos a uma grande canga, e, então, ou se rendem, ou vão à prisão parar, isto, para além da morte civil que já é usada por todos os totalitários, como instrumento privilegiado de repressão política, como nos tempos negros do regime racista da África do Sul.


Como pessoas livres façam o que bem entenderem, mas aos que no fascismo viveram, queria recordar-vos as palavras de Kennedy: é preciso ter uma DETERMINAÇÃO FORTE E INQUEBRANTÁVEL PARA PAGAR QUALQUER PREÇO PARA DEFESA DA LIBERDADE.


PELA LIBERDADE...


andrade da silva

.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA SIM, TOTALITARISMO NÃO. pelo Capitão de Abril Andrade Silva





REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA SIM, TOTALITARISMO NÃO.




Nota: face a confusão de posições no fórum 1 milhão na Avenida da Liberdade, postei no mesmo o seguinte texto:

Embora um grande número de intervenientes neste forum defenda posições democráticas, outros há que se assumindo como administradores deste movimento, defendem de facto posições totalitárias, extremistas algumas das quais remontam à guerra peninsular.

Agora surge Carla Sena a dizer que neste grupo não se aceitam extremistas, e fala já em caderno reivindicativo e não em demissão imediata de toda a classe política, o que me parece mais adequado às justas aspirações, anseios e dificuldades do povo e das várias gerações jovens sem emprego, a da meia idade que tem suportar os seus filhos e em parte os seus pais, e os muito idosos abandonados, que morrem em suas casas abandonados e só 9 anos depois são descobertos e culpados pelo desaparecimento, porque depois de mortos esqueceram-se de telefonar para as autoridades para lhes dar autorização para abrirem a porta de casa
Esclareço que não pertenço a nenhum partido e desde há muito denuncio o estado podre em que vivemos e a falta de coragem para se enfrentar pela democracia e com a democracia este estado de coisas, e nesta perspectiva dei contributos neste mural que se perdem na voragem das publicações
Esta democracia está doente é preciso tratá-la e não lançar sobre ela ódios que acabem em ditadura. Pela recuperação da democracia participativa, pelo luta contra a corrupção, a ineficácia da justiça, o desemprego, a incompetência, a falta de probidade, a falta de dignidade com que se trata a maioria dos portugueses, o subdesenvolvimento, as assimetrias regionais, o amiguismo etc estou com todos portugueses, que lutem por estas causas. Agora não estarei com os portugueses que aproveitando esta hora de dificuldade e desespero queiram incendiar Portugal numa aventura anti-democrática de carácter totalitário e sobre isto, neste grupo não há um COMPROMISSO CLARO ENTRE Todos os que aqui estão.
De facto a substituição global da classe politica é uma REVOLUÇÃO E não uma MANIFESTAÇÃO e as REVOLUÇÕES PODEM SER DEMOCRÁTICAS como a do 25de ABRIL 74, ou totalitárias como a do 28 Maio 1926, e pode ser republicana, como a o 5 de Outubro de 1910,ou não.
Por isso interessa perguntar qual é o caminho que a maioria dos que fazem parte deste grupo quer seguir, se por exemplo um dos que tem assumido o papel de líder deste grupo o concidadão António Gomes da Silva, chama logo de provocador quem exprime honestamente o seu ponto de vista e diz que este movimento de massas de todas as classes apertará o papo aos tais provocadores, segundo ele, só porque pensam de um modo diferente e estão preocupados com o destino de Portugal e dos portugueses. De qual seja a natureza deste movimento é importante definir com todo o rigor? De facto é muito pouco conciliável uma canção de Zeca Afonso com símbolos que representam extermínio de milhares, milhões, de pessoas.
Seria bom que uma grande maioria se pronunciasse sobre a natureza movimento se defesa e aperfeiçoamento da democracia, se de supressão ou suspensão da democracia, como por aqui já foi sugerido..

Já participei numa revolução quando tinha 25 anos, nunca me dei por vencido ou derrotado. Acredito na juventude tenho um filho de 25 anos, mas então, como hoje, defendo a democracia e não nenhuma forma de ditadura, e esta matéria é nuclear para muitos portugueses, e como tenho por aqui dito o mais importante é sempre o dia seguinte, e o que se faz no dia seguinte tem de ser pensado e não pode ser obra do acaso.

andrade da silva
No facebook em joão andrade silva

REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA NO FACEBOOK



Desde há muito que os democratas de Abril não mortos, nem vencidos deveriam motivar os jovens de Abril a usarem as suas competências técnicas na área da internet, para mobilizarem o povo para lutarem por Abril. Só que por uma grave inércia colocam-se sob a bandeira dos partidos e esperam que estes façam tudo e o resultado é o que se vê: tudo quase na mesma.


Mas há agora um sobressalto na Net um grupo de descontentes com orientações contraditórias que dentro de si têm o germe da confusão e choque logo que se encontrem no terreno. Como na mesma manifestação podem estar de acordo um individuo com uma bandeira nazi, e um outro com as canções de Zeca Afonso na boca? Podem estar de acordo em chamar a esta gente de corruptos, mas depois quando se quiser fazer alguma coisa, para que lado se vai.


Mais uma vez a estratégia dos democratas é de inércia, estão a ver para que lado cai isto ou aquilo, espreitam a ver quem agarra o quê, mas é uma atitude passiva com riscos graves.


Seria, sim, importante desde há muito, mas urgentíssimo agora, criar um MOVIMENTO PARA DEFESA E APROFUNDAMENTO DA REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA DO 25 DE ABRIL, movimento apartidário que combata a corrupção, as más politicas, a falta de humanismo e justiça desta sociedade.


Se Abril nada fizer pode assistir na rua à sua morte, por cobardia, demissão e táctica partidária e, sobretudo das gentes de Abril. Abril fez-se na rua e deve defender-se na rua, pelos democratas e revolucionários filhos de Abril.


andrade da silva


no facebook em joão andrade da silva

Alerta!!! poema de Marília Gonçalves




ALERTA!!!


        

Alerta

Grita filha !

há uma aranha

Na brancura da parede

Que peçonhenta tamanha

Vai tecendo sua rede.

Grita filha !

Essa fobia

É protecção natural

Contra a aranha sombria

Que além de símbolo

é mal !

Grita com todas as forças !

Grita porque há mesmo perigo

Essa aranha uma cruz negra

é o pior inimigo.

Por meu amor não te cales !

Grita filha

Tua mãe

Impele-te pra que fales :

Contigo grito também !

Essa aranha que se estende

Tem o passo marcial

Com fúria que surpreende

O incauto em voz fatal.

Grita filha

O bicho imundo

Sai vertiginosamente

Da sombra vinda do fundo

Em veneno de serpente.

Tal a jibóia medonha

Enrola-se abraça o mundo

Pra ir crescendo em peçonha.

Introduz-se em toda a parte

Tudo corrói e desfaz

É inimiga da Arte

Do Ser Humano da Paz.

Grita filha !

Mas tão alto

Num grito tão verdadeiro

Que desperte em sobressalto

O que não quer ver primeiro.

Essa aranha pestilenta

Odeia a própria Cultura

Em fogueira que alimenta

Livro após livro censura.

Opõe à Humanidade

A sua força brutal

Por onde ela passa invade

Mata o constitucional !

É um monstro repelente :

Primeiro ataca o mais fraco

Para ir seguidamente

Oculta em cada buraco

Destruir a Liberdade.

Inimiga da diferença !

Grita !

Minha filha Grita !

Faz ouvir tua presença.

Aponta o bicho feroz

Mostra-o sacode os amigos

Com a força da tua voz !

Grita !

Esse enredo de perigos !

Grita filha ! Desta vez

Esse grito é racional

Porque essa aranha é o não

Ao direito Universal.

Sem medo abre tua boca !

Grita alto ! Grita forte !

Porque toda a força é pouca

Para lutar contra a morte.

Grita ! Grita minha filha

não te cales nunca mais :

não se veja outra Bastilha

Prendendo os próprios jornais !

Que teu grito seja infindo

Circule dê volta ao mundo

Jovem voz entusiástica

Erguendo o povo profundo

Contra a bandeira suástica.


Marília Gonçalves

Marília Gonçalves nasceu em Lisboa viveu em Faro onde teve três filhos, a quarta nasceu na França. Vive perto de Paris. Desde menina demonstrou seu gosto pela palavra e pela poesia, declamando em Portugal e na França. Fez parte em 73/74 da Direção do Círculo Cultural do Algarve. Teve seus trabalhos publicados em vários jornais e revistas, como o Jornal do Algarve onde Teodomiro Neto fez o seu retrato. Está presente em vários sites de Internet:"Jornal de Poesia" "o Dono*o da Loja" "Uma página da comissão de Moradores de Palmela, "Estação de Palmela e Cabeço Velhinho", no Portal "Cá estamos Nós" e em "Sobresites", "Poetas del Mundo" cujo presidente Luis Arias Manzo é Embaixador Universal da Paz. Marília acredita na Humanidade e que saberá encontrar o Caminho para a Fraternidade e para a Paz. Tem obras publicadas num Livro de poesia " à Procura do Traço" e em duas Antologias "Elos de Poesia" e El Verbo Descerejado".
Marília nos anos 80, fez Rádio em Paris, no RCP de Villejuif, que foi a primeira Rádio livre, Portuguesa, existente na região, onde foi animadora e produziu programas.
Hoje é na Internet que tenta comunicar com seus irmãos, de igual destino, estar longe de Portugal, de sua realidade, das paisagens que ama.
(esse site de rara simpatia, de Palmela, entretanto deixou de existir)


Adriana Calcanhotto - Resistiré



SÉRGIO GODINHO, "Liberdade"




Um dia desses -

 Adriana Calcanhotto