domingo, 2 de agosto de 2009

COMPROMISSO PORTUGAL UM LOBO INTELIGENTE E BEM PENTEADO COM O RABO DE FORA




Como liberais sérios e competentes, produziram uma competentíssima avaliação a este governo, têm grandes recursos financeiros e know-how, honram-se, parabéns. Fizeram um trabalho de excepcional mérito, o que é um bom exemplo do que a sociedade civil rica pode fazer. Que o seu exemplo seja seguido pelos democratas da esquerda parlamentar e extra-parlamentar, embora não contem com os mesmos recursos financeiros. Temos de ser mais criativos.

Consideram que este governo não conseguiu atingir as suas principais metas. Não modernizou o país, não aumentou a coesão social, não criou um desenvolvimento sustentado, aliás, já antes da crise de 2008 todos os indicadores macro económicos eram maus, e estávamos em divergência com a Europa, em vez de crescermos ao nível dos 3%, crescíamos 1%, portanto, este governo, de um modo geral, foi mau, embora tivesse agido bem em alguns sectores, segundo o juízo do Compromisso Portugal, como vamos ver.

Foram boas medidas o plano tecnológico, este, dizem em parte, porque lhe faltou enfoque e adequada estratégia, (então, deveria ter sido um desastre, pequeníssima contradição, mas… ) contudo toda a gente concorda que resultou num bem para o país, também o foram a aprendizagem do inglês, as aulas de substituição, estas, é duvidoso e a diminuição do insucesso escolar, o que, merece alguma reserva, porque passar pessoas sem terem competências é bluff.

Obviamente que o compromisso Portugal considera como positivas todas as medidas tomadas, sem a devida ciência e competência, contra os funcionários públicos, como a (pseudo)- avaliação, o congelamento de salários e de promoções, o aumento da idade da reforma e o facto da ADSE se equipar à segurança social e o regime da caixa geral de aposentações se tornar idêntico ao geral, tudo medidas que o Compromisso aplaude, achando que deviam ter ido mais longe, porque ainda há funcionários a mais, o que, com o modelo de segurança social do estado criam uma grande pressão sobre as contas públicas.

O Compromisso Portugal critica os grandes projectos, porque só teriam reflexos no curto prazo, e considera que estes projectos devem ser plurianuais. Considera que tudo quanto o governo fez para afastar o estado de determinadas áreas foi bem feito, como a desjudicialização de dados processos, o que o bastonário da ordem dos advogados contesta, por exemplo no caso da resolução de hipotecas, diz que se passam actos inaceitáveis etc,.

Entende o compromisso Portugal que o Estado deve garantir um generoso serviço de apoio às populações, mas não deve ser o seu prestador. Todavia estes tão generosos senhores não fizeram uma conta que fosse, quanto à gestão empresarial dos hospitais, e sobretudo não sabem dizer que ser atendido nas urgências do Hospital da Luz e fazer um penso, com o cartão da ADSE, custa cerca de 30 €.

Diz ainda o Compromisso Portugal que este governo protegeu com legislação adequada os consumidores dos abusos dos bancos, ninguém sabe bem como, porque os bancos aplicam taxas e sobretaxas a seu bel-prazer. Ainda segundo o mesmo Compromisso, o Governo agiu bem na actual crise, protegendo a banca, e, aqui nem uma palavra sobre os 2 mil milhões de euros para defender o BPN, embora não se percebe de quê, porque até perece que é um pequeno banco, mas com accionistas de grande peso e muito dinheiro. Defendeu-se o sistema bancário ou os dinheiros dos grandes senhores que lá estão até porque o procedimento adoptado com BPP é outro, porquê?

Considera que este governo esteve mal ao permitir o crescimento da divida externa, e para a combater propõe medidas criativas, como a moderação salarial, o aumento da poupança privada e pública, esta com a diminuição da despesa pública e do défice, a obter com o emagrecimento da função publica e com menor despesa no tal estado social generoso que, segundo o Compromisso se torna mais económico contratualizando os serviços com o sector privado, como já acontece na saúde, de que se desconhecem os saldos, e o Compromisso Portugal que tem tantos dados não os refere. Será porque não interessam às suas teses que têm, como dizem, o objectivo de servir a felicidade dos portugueses?

Todavia é interessante verificar que o grande défice externo é na balança energética, sendo assim pergunta-se será que quem mais pesa nessa balança é quem trabalha e ganha 600€? E também diz o mesmo compromisso para as pessoas pouparem mais, mas deverá ser um pouco difícil se ganharem menos pouparem mais, por outro lado, esquece o Compromisso Portugal que na balança alimentar podemos melhorar as coisas se recuperarmos a agricultura e as pescas etc.

Propõe o compromisso Portugal para não regressarmos a 75 que avancemos com a qualificação dos trabalhadores, com serviços públicos de qualidade, com uma melhor interacção entre o estado e as organizações dos cidadãos, neste caso resta saber se dos doutores ou de todos, mas também com o tal estado generoso mas não prestador de serviços e com um novo modelo de empregabilidade com (muita) flexibilidade e ( um mínimo) segurança.

Tudo quase correcto, mas sobre corrupção nem uma palavra, mas sobre a existência de uma justiça para os ricos e outra para os pobres nem uma linha, mas sobre offshores nada, simplesmente não existem, e sobre a imoralidade dos prémios dos gestores um completo silêncio, sobre a fuga ao fisco dos profissionais liberais e empresários nem se lembram se isso existe em Portugal, sobre economia subterrânea também, nada, assim, que grande compromisso quer fazer com Portugal.

Tem razão quando diz que este governo está auto satisfeito, apesar de não ter conseguido os bondosos objectivos que o Compromisso Portugal considera importantes, diminuição da despesa pública com a penalização das corporações dos servidores públicos e a diminuição das despesas do estado social.

Mas, embora, não interesse ao Compromisso Portugal seria bom saber se a despesa pública não diminuiu para onde, então, foi o dinheiro poupado com o congelamento dos salários e dos escalões dos funcionários, com a drástica diminuição dos valores das reformas e ainda com as poupanças maldosas e dramáticas na saúde, onde, todos começaram a pagar mais e a tratarem-se menos? Será que estas poupanças serviram para pagar os prémios e indemnizações milionárias e imorais a gestores públicos etc.?

O Compromisso Portugal acha que as reformas que nivelaram a vida dos cidadãos pelos mais baixos escalões sócio-profissionais estavam no bom sentido, pecaram por ficarem aquém do que o Compromisso considera desejável. Mas com tantos dados analisados não poderiam ter levantado o circuito do dinheiro, resultante da diminuição forçada da qualidade de vida de largas centenas de cidadãos? E, assim, nos poderíamos sentir motivados para mais sacrifícios, se essas poupanças foram bem aplicadas, ou, contrariamente, se foram para salvar bancos, onde, muita gente de poder teve ganhos especulativos, entre eles o Sr. Dias Loureiro e outros magistrados da Nação, então, só nos podemos sentir ludibriados.

Por tudo isto propõem um compromisso com Portugal ou com alguns senhores de Portugal, para que sob o manto de um conjunto bondoso e sábio de propostas como qualidade dos recursos humanos, desburocratização do Estado, boas infra-estruturas de transporte, qualidade ambiental, boa interacção entre universidades e empresas, se aumente a felicidade dos que já são felizes, tornando mais desigual a distribuição da riqueza, através da moderação salarial e de um trabalho completamente flexível ao nível dos despedimentos e nada seguro quanto ao emprego e à protecção no desemprego?

Também é muito estranho que este compromisso só fale dos idosos para dizer que o governo com a pensão para os idosos só atingiu um terço dos que referiu ir abranger, como se o problema dos idosos se revolvesse, ou sequer atenuasse com essa pensão que não cobre por exemplo a despesa com um dos medicamentos para a Alzheimer que rondará os 125€ mês ao idoso. Que grande compromisso este, mas com quem, com PORTUGAL? Por Favor!

Como só 10% da população vive faustosa e majestosamente, outras 20% muito bem, e os outros 70% como a Deus é servido e 18 a 20% destes vivem abaixo do limiar da pobreza, o que o Compromisso Portugal ignora, pois que o seu compromisso é privilegiadamente com aqueles 10% dos portugueses e na melhor das hipóteses com 30%, podendo ainda pela música seduzir mais alguns que gostam que lhe dêem música divina.

Enfim, grande esforço para continuarem a defender a receita liberal, agora, com uma segurança social dita generosa, mas assente no sistema misto, estado e capitalização, em de fundos de seguradoras que o que mais fazem é espoliar os utentes ou metê-los em processos judiciais intermináveis.

Todavia sendo Portugal um dos países mais desiguais da Europa e sendo necessário produzir mais riqueza, ser mais produtivo a nível do trabalho e da gestão, poupar mais etc. o Compromisso Portugal não operacionaliza nada sobre como distribuir melhor a riqueza, limitando-se a falar de um modo adjectivo de uma fiscalidade simples, eficiente etc., ora para quem defende o bem geral é muito significativo que esqueça estas pequenas minudências, obviamente.

É e significativo para a natureza deste governo e para a do próprio Compromisso Portugal que haja uma identificação com tudo o que o governo fez contra maioria das pessoas que só criticam por não terem sido ainda mais graves e discordem com todas as medidas de carácter social

MY GOD! Para longe, muito longe, este Compromisso, que com Portugal tem pouco, mas tem demais com os que nos tramam a vida há muitos anos, anos demais. Valha-nos o facto do 25 de Abril, ainda, os incomodar, o que dá uma grande alegria a quem participou em tão grandioso acto, o único que ainda tira o sono a esta gente bem pensante e muito competente a dizerem o que lhes convém. IMORTAL 25 de ABRIL.

asilva

3 comentários:

Furia do Cajado disse...

Por falar em Compromissos, tomo a liberdade de lhe dar conhecimento de uma proposta, uma espécie de colete à prova de promessas eleitorais.
Abraço solidário
Roberto Robles

Furia do Cajado disse...

Esqueci-me do link
http://avozdaabita.blogspot.com/2009/08/proposta-para-uma-participacao-civica.html

andrade da silva disse...

Caro Amigo

Li o seu post e quis deixar o seguinte comentário:


Concordo com o seu post. Felizmente somos muitos a pensar assim,mas estamos dispersos, e se juntassemos forças.

Quando puder passe pelo site http://www.novaesquerda.org

Abraço
andrade da silva