segunda-feira, 16 de maio de 2011

Envolta

fotografia:EmanuelPereira Aparício Ribeiro




 dificuldade
em adormecer
envolta
em palavras

envolta
em palavras
que me cansam

em inquitações
que me doem

adormeço
envolta
em choros
que me magoam

 esta noite

envolta
nos teus gestos
aninhei-me
no sonho

sinto
a
tua respiração
outra vez

mas longe
longe
falo-te
no silêncio

sinto o silêncio

e cansada  de palavras

aconchego-me
em gestos

os teus
nossos
gestos

aninho- me
no silêncio
    e
sentindo-te
junto de mim
sorrio

adormeço
em paz

Ester Pita

3 comentários:

andrade da silva disse...

Ester
Mas envolta no poema e no sonho acordarás sempre na primavera, que por vezes tem sombras e há quem corte pela raiz as flores, mesmo os amores.perfeitos, mas sempre e sempre as papoilas resistem, e a cada primavera renascem mais viçosas ainda.
bjnho
joão

andrade da silva disse...

O Poema tem por nome de baptismo Envolta.
asilva

Ester Cid Pita disse...

João
Obrigada, pelo lindo comentário e pelo carinho e amizade. beijinhos

Ester Pita