domingo, 4 de dezembro de 2011

INÚTIL



" Em 4 de Dezembro de 1980, depois de sair das aulas do curso de sociologia,  no ISCTE, que terminavam às 23 e 30, na Estação do metropolitano da Cidade Universitária, ouvi a notícia da morte de Francisco Sá Carneiro. Nunca o esqueci pelo seu amor por Snu Abecassis, e por ter desafiado a corte Inglesa, por causa desse amor.  Mas hoje, dia da sua morte, alguém falou dele? Não ouvi."


Os ventos sopram contrários,
sempre...


A vida acabará.


Os mares estendem-se,
prà frente.


Valerá a pena fazer-se
aos lobos marinhos?
Talvez, Não.


Mas tenho canoa,
lua, sol,
um eu,
e um não ficar - 
Partirei.


Inútil partida,
perigosa viagem, 
quiçá?


Mas...


andrade da silva


  PS:  Nunca sequer tentarei fazer um poema. Descrevo estados de Alma, só valem para quem capta as ondas das emoções, os demais nunca saberão que dei um ai, antes fica a morte.

Sem comentários: